domingo, maio 06, 2007

Uma imperial e uma bifana, ó fáxavor!

Hoje tive um Domingo diferente. Ando metida numa associação de trabalhadores, aqui do meu estaminé profissional, e como a coisa anda a ser criada de raiz, vamos fazendo de tudo um pouco para angariar receitas. E se nos tempos da Escola Secundária, a malta pedia à mãe para fazer bolos, que depois levávamos para o bar da Escola, a ver se ganhávamos dinheiro para a viagem de finalistas, hoje em dia, pede-se uma roulote à Sagres e vamos vender imperiais e bifanas.

Foi muito bom. Para mim, que sou a senhora doutora, dá-me muito gozo juntar-me a outros colegas, especialmente àqueles que ficam sem saber muito bem como hão-de lidar comigo nestas circunstâncias. Houve um colega em particular, que me tratou por "dona Blimunda" até ao momento em que levou com um saco de amendoins na cabeça!

Tomei hoje consciência de como o meu ambiente de trabalho é, actualmente, demasiado artificial. Muita mulher junta, muito salto em bico, muita permanente e diferentes tons de loiro-farmácia. Formalismos, narizes empinados, cinismos, hipocrisias, mas tudo bem maquilhado, com os melhores tons de base e batons de boa qualidade. No fundo, é outro teatro, este em que trabalho diariamente. Saber nadar nestas águas e manter a cabeça à superfície também exige perícia e não é para todos, atenção.

Mas pelo menos por hoje, soube mesmo bem o tempero daquelas bifanas, sem quaisquer pretensões a fazerem-se passar por "Bifinhos de Porco Recheados com Míscaros e Mostarda Antiga". Acompanhadas pela boa disposição de quem está a correr por gosto. Ah! E por umas imperiais muito bem tiradinhas, que fiquei hoje grande profissional da coisa!...

9 comentários:

mamã Xana disse...

Não me disseste que ias lá estar!!!!

Ainda não foi este ano que lá fomos...

blimunda sete luas disse...

Não disse?... Então não disse?...

Pedro Aniceto disse...

Onde é a tasca? Ontem, de madrugada, vinha de Coimbra, estourado que nem um cão e fiz um desvio pela Nacional 1 que já deito Auto Estrada pelos poros. Vi uma roulote e encostei. Comi um cachorrão que me soube pela vida... Ah e uma Sagres fresquinha...

blimunda sete luas disse...

A tasca foi assim uma coisa improvisada, à beira do rio, com cavalos e póneis e passear à nossa volta! E mais não digo!... ;-)

carla disse...

Ai, caramba. Estou aqui tentando entender o que significam bifana, tascas e míscaros...
O que são?

carla disse...

A propósito, é que sou brasileira. Pra cá, o português é um tanto diferente.

blimunda sete luas disse...

Bifana: Bifes de porco.
Tasca: Lugar onde, teoricamente, se vendem as comidas mais saborosas de todó mundo, isto porque são confeccionadas de forma muito simples, e também porque as condições higiénico-sanitárias do lugar e de quem as confecciona é sempre muito duvidosa...
Míscaros: É, hum... ó diabo, o que raio são Míscaros?...

blimunda sete luas disse...

Ah, cá está: Míscaro - "cogumelo da família das Poliporáceas, cujo estroma amarelo é comestível, e que se encontra com frequência em Portugal, nos estevais e pinhais, sendo também cultivado".

Ou seja, "Bifinhos de Porco Recheados com Míscaros e Mostarda Antiga", não passam, no fundo, de bifanas com cogumelos e mostarda. Era o que a gente vendia na tasca, tirando a mariquice dos cogumelos... Mas em contrapartida havia amendoins!...

virilão disse...

Diria que é o melhor post dos últimos tempos.
tudo coisas que eu gosto:
"associação de trabalhadores","muita mulher junta, muito salto em bico","Saber nadar nestas águas e manter a cabeça à superfície ","Bifinhos de Porco Recheados com Míscaros e Mostarda Antiga","Acompanhadas pela boa disposição de quem está a correr por gosto. Ah! E por umas imperiais muito bem tiradinhas"

Será o paraíso?

E para ser perfeito, perfeito, mas mesmo perfeito era a cerveja ser de Vialonga!