quinta-feira, novembro 06, 2008

Ódios de estimação

A senhora doutora antes de o ser, já o era. Soube sempre o que queria e chegou lá depressa. Nada se atravessou no seu caminho.

Programou a sua vida ao minuto e ao segundo, escolheu a dedo amigos e namorados, estes sim, que são respeitáveis e estão feitos à minha imagem e semelhança, estes não, que são inconstantes e embebedam-se, não vão à igreja, são promíscuos. Agora estudo, agora namoro, agora saio com amigos e sou muito divertida, agora caso-me e sou uma mãe de família exemplar e só me dou com gente ao meu nível. Hoje em dia é uma mulher de suceso.

Outra senhora doutora usa o título mas não o deixa entranhar-se.

Demorou muito tempo a crescer e a perceber o que queria, avançou por tentativa e erro, seguiu por caminhos pouco utilizados e isso trouxe-lhe do melhor e do pior. Portou-se mal, teve amantes, não acredita nos deuses das igrejas, nunca casou. Hoje em dia é uma mulher de sucesso.

Encontraram-se hoje por acaso, velhas conhecidas do tempo em que uma e outra não eram mais do que um projecto de mulheres adultas. Caminhos opostos percorridos, a animosidade desses tempos foi a mesma nestes tempos. Os sorrisos foram amarelos, os cumprimentos hipócritas. Ambas preferiam não se terem encontrado, não se respeitam mais hoje do que há 15 anos atrás. Apenas um pouco mais de base, baton e talvez, mais uns centímetros nos saltos dos sapatos.

Acontece que hoje, uma delas estava mais bem vestida, eh eh....

5 comentários:

patologista disse...

A outra estava pindérica! Ái isso é que estava!

Vitor disse...

…Ao longo dos anos…há sempre aquela que fica muito “tia”!

Joana (Dra-D) disse...

Sei perfeitamente que sensação é essa... Ai se sei...

Patrícia disse...

ai que má... não devias ser assim;)) mas às vezes sabe mesmoooo bem!

Ex.ma Sra Prof Dra disse...

Aposto que ficou com vontade de ouvir aquela música da Sara Tavares "bom feeling..."
;)