quinta-feira, agosto 11, 2011

Candida Albicans, epílogo

Já se passaram quase cinco anos sobre este post. Na altura, escrevia com o peso de um problema que parecia não ter solução à vista, quando tudo o que queria era poder descrever de que maneira ele tinha ficado resolvido. A conversa com um amigo fez-me hoje reflectir que ainda nunca escrevi este epílogo, e sobretudo numa fase em que os epílogos parecem avolumar-se na minha vida, aqui fica registado mais um, na forma de um resumo do que passei durante mais de um ano em que vivi com uma inflamação vaginal por candida albicans.

Devo dizer, aliás, que este blog acabou por se tornar (sem que fizesse mais por isso do que o conjunto de posts relativos ao assunto) num ponto de referência, ponto de encontro, muro de lamentações, eu sei lá, para muitas centenas de mulheres desesperadas e angustiadas com um problema de saúde que é de facto desesperante e angustiante, e que estranhamente parece continuar a ser pouco valorizado. Essas mulheres que aqui vêm também já mereciam este post, até porque muitas delas têm-me contactado por email ou através dos comentários no blogue, pedindo ajuda, informações, ou apenas alguma forma de apoio moral. A muitas tenho respondido, à medida do que também me vai sendo possível. No conjunto de posts sob o marcador "candida albicans" registo, à data de hoje, 1095 comentários. Mil-e-noventa-e-cinco.

A minha infecção por candida albicans surgiu em Janeiro de 2006 e durou até Março de 2007. Hoje em dia está ultrapassada, mas infelizmente a medicina convencional não chegou para resolver o problema. Costumo dizer que passei das drogas leves (gino-canesten, gino-pevaryl) às drogas duras
(fluconazol) no que aos tratamentos possíveis para a candida dizem respeito e, ao fim de um tempo, tinha a sensação de que quanto mais medicamento tomava ou aplicava, pior me sentia.

Na verdade, tudo começou por ser uma infecção mista (bactéria e fungo), o que só piorou as coisas. Piorou porque para se tratar uma coisa foi inevitável piorar a outra. Ou seja, para matar a bactéria com antibióticos tive que enfraquecer (ainda mais) o sistema imunitário, o que fortaleceu a candida. A candida é um fungo, não é tratável com antibióticos. Ela habita no nosso organismo naturalmente. Se o nosso sistema imunitário estiver a funcionar bem, mantém a cândida a níveis controlados. Se o sistema imunitário enfraquecer (e isso sucede muitas vezes com a toma de antibióticos), é natural que a cândida tenha terreno para se esticar. Foi o que me aconteceu.

Informação importante que acho que qualquer mulher deve conhecer sobre este problema e, de resto, sobre a nossa flora vaginal, é que o princípio de combate à candida é na verdade muito básico: a nossa flora vaginal é naturalmente ácida, porque a acidez destrói as bactérias. É um sistema de defesa natural do nosso organismo, que tem uma "porta aberta para o mundo". Mas os fungos florescem em ambiente ácido. Logo, para combater um fungo, é necessário aumentar o ph da flora vaginal. Ou de todo o organismo, se o fungo estiver a generalizar-se pelo corpo, através do intestino.

E agora, aquilo que realmente interessa: como é que me livrei da candida? A resposta é, com a homeopatia. Os tratamentos têm o grande contra de serem muito caros, mas no meu caso foi a única alternativa. Consultei também um alergologista, fiz uma vacina contra o fungo durante quatro anos. Só tive alta recentemente. Fiz análises de tudo e mais alguma coisa e a candida está desaparecida. O alergologista despediu-se de mim, ao fim deste tempo todo dizendo, durante muito tempo, espero que esteja imunizada. Se a coisa voltar, sabe onde me encontrar... Portanto, isto é sempre uma coisa da qual não se está propriamente curada... Mas estou agora há vários anos sem qualquer crise, o que me deixa muito satisfeita e, por outro lado, mais confiante, porque ao mínimo sinal de alarme já saberei agora melhor o que devo fazer.

Quanto à homeopatia, para quem queira seguir esse caminho, a única coisa que aconselho é que procurem profissionais que vos dêem algumas garantias de fidedignidade. O que eu receio nestas medicinas alternativas é a proliferação de pessoas a praticá-las sem que possamos comprovar se prestam para alguma coisa ou não... no meu caso consultei um homeopata em Lisboa, que dá consultas na Ervanária Científica Garcia da Orta, em Alcântara. O nome é Dr. Amândio Marques e a lista para marcação de consultas costuma ser longa. O que ele fez comigo foi muito simples. Deu-me antiácidos, para eliminar a acidez dos próprios alimentos que eu comia. Alguns antifúngicos naturais. E suplementos alimentares para fortalecer a imunidade. Ao fim de pouco tempo comecei a melhorar e até hoje. Quanto ao custo dos medicamentos, pensai cada uma de vós quanto dinheiro já enterrou em medicamentos que não vos trataram, e é uma questão de verem qual o caminho a seguir.

Em relação à alergologia, consultei um médico na Clínica de Santo António, em Sacavém, o nome é Dr. Marques Ferreira. Para mim a surpresa a este nível foi perceber que muitos ginecologistas desconhecem totalmente que existe uma vacina contra a candida albicans... Acho estranho. Mas pelos vistos a medicina também tem as suas quintas, o que nos deixa a nós, doentes, com a obrigação de nos documentarmos e promover a interdisciplinariedade...

Outras dicas importantes. Começo por produtos que não são medicamentos, mas podem ajudar. O Alkagin tornou-se num amigo para a vida. Uso a solução íntima na minha lavagem diária. Quanto ao gel, pode ser um grande alívio para quem se sinta muito "seca", por vezes alguns tratamentos locais podem deixar essa sensação.

Há ainda outro produto excelente, e que me foi aconselhado a dada altura num comentário aqui mesmo no blogue, por um ginecologista, chamado Geliofil. Há nas farmácias convencionais, se não tiverem peçam para encomendarem. É óptimo para limpar logo a seguir ao período e também não tem contra-indicações. Outra curiosidade: na altura em que recebi esta "dica", eu andava em consultas de ginecologia na Maternidade Alfredo da costa. Quando lá cheguei e falei deste medicamento, desconheciam que ele existisse... É verdade que era algo muito recente, mas de novo estranhei que, no sítio que supostamente está na vanguarda, precisasse de uma utente para lhes levar a boa nova...

Isto para dizer que, infelizmente, há muitos ginecologistas que continuam a achar que a candidíase é um problema menor, facilmente tratável, e que não representa nada de especialmente grave. Relativizam o sofrimento por que se passa quando se sucedem os tratamentos sem que hajam melhoras, insinuam que estamos a imaginar coisas (aconteceu-me, mais um bocadinho e dizia que eu
era maluca), e desvalorizam o mal que isto faz à nossa auto-estima quando percebemos que não conseguimos ter uma vida sexual normal. Ignoram que isto nos pode levar à depressão, como chegou a acontecer comigo.

Que conselhos mais vos posso dar? Se o vosso ginecologista desvaloriza o problema, mandem-no passear. Arranjem outro, e outro, e outro, até acertarem. Explorem outras especialidades médicas, especialmente a alergologia, se virem que associados a estes problemas estão outros, tais como pele atópica, intolerância alimentar, alergias. Não me entendam mal, eu nunca desprezei os médicos. Agarrei-me a eles como lapa, faço os exames todos, vou a consultas regulares. E nada do que aqui digo ou sugiro substitui o acompanhamento médico. Absolutamente nada. Mas nenhum médico pode substituir-nos no nosso empenho de zelarmos pelo melhor acompanhamento possível.

Mas não é menos verdade que há coisas muito importantes que só dependem de nós, desde logo os hábitos alimentares. Água, muita água. Chá, bebi litros e litros de chá. A camomila é um anti-inflamatório natural, e eu também gosto muito duma erva chamada tomilho-limão, faz um chá super agradável e o tomilho é anti-fúngico. Há alimentos que é imperativo evitar durante as crises: cogumelos, coisas com amido ou fermento (pão, bolos), álcool, açúcares. Alimentos ácidos, tais como alguns frutos, laranja, limão, ananás. O leite e o café também devem ser evitados.

E finalmente, o mais difícil de tudo: Não nos deixarmos deprimir, porque a depressão também enfraquece a imunidade e é claro, só dá ainda mais força à candida. Se for preciso tomar
anti-depressivos, pois que seja. Tudo o que for preciso para dar cabo dela.

Isto de certa forma resume tudo o que aprendi e vai ao encontro das muitas perguntas que tantas de vós me têm feito sobre este assunto. Espero que o meu testemunho sirva para vos ajudar a encontrar um caminho para um tratamento que resulte convosco, e que não será necessariamente igual ao meu. O meu epílogo está feito. Desejo a todas as que chegaram a este último prágrafo (e só o farão aquelas a quem isto realmente interessa, de certeza), que o vosso epílogo possa ser escrito o mais brevemente possível.

77 comentários:

Pedro Aniceto disse...

Descansa em paz, Candida! ;)

blimunda sete luas disse...

:-) :-)

André disse...

Uau. A isto chama-se serviço público!

Anónimo disse...

Enquanto esteve a apanhar as vacinas n teve sintomas nenhuns? Era injectavel ou sublingual? vinha do estrangeiro? É que uma amiga minha esteve a apanhar a vacina e n se sentia nada bem obrigada

blimunda sete luas disse...

Caro(a) anónimo(a), a vacina nunca me deu sintoma algum, excepto uma reacção local no braço, onde era injectada. Tinha que ser encomendada, não sei onde era feita, mas era tudo à semelhança das vacinas que os alergologistas receitam a quem tem alergias aos ácaros, aos pólens, etc. O laboratório era o mesmo.

Anónimo disse...

Ja agora se puder tireme umas duvidas da vacina. Eram quatro frascos e depois o quarto era sempre igual so aumentava a dosagem ou n era assim? era candida albican 100% ? obrigada

blimunda sete luas disse...

Era exactamente como descreve. :-)

Cristina disse...

Eu também só consegui controlá-la com muitos meses de acupuntura e fitoterapia para o sistema imunitário. Muito de vez em quando lá aparece de novo, mas passa com os óvulos... nada que se pareça com o tormento que passei há uns anos.

Anónimo disse...

blimunda agora mais uma pergunta, sabe qual a dose maxima que levou da vacina?

blimunda sete luas disse...

Já não me recordo exactamente, mas nunca aguentei doses muito grandes, julgo que andei no máximo pelos 0,25, 0,30, mas não sei que unidade de medida era.

Conceição Ramos disse...

Nem mais! Até aí tudo bem, pior é quando se passa dessa marca. Aos trinta e cinco pessoalmente eu reagi muito mal, suspendi para ver se melhorava e melhorei. Quero eu dizer, que depois dos trinta e cinco comecei a passar muito mal. Parei e o meu estado geral melhorou, voltei a dar e á noite do mesmo dia piorei de novo, (e não foi do braço já que o vermelho do meu braço era o mal menor) era geral. Voltei a dar e voltei a piorar. Voltei a parar e esperei para ver o resultado e voltei a melhorar. Mas eu, que nunca tinha jamais tido uma candidiase vagina, passei a ter generalizada. Melhorei no inicio das minhas alergias aos fungos, (porque atenção, parece mas estamos a falar de coisas diferentes,mas não...vão dar ao mesmo sitio): Sistema imunitário debilitado, infecções bacterianas causadas pelas toxinas libertadas pela cândida, CANDIDIASE que pode ser vaginal mais comum, como pode vir de outro lado mais difícil de detectar, e generalizar. Realmente os médicos minimizam, ignoram. Puro desconhecimento? Dizer que não sabe tratar? Não acredito, tem muito estudo feito sobre o assunto e muito médico que ajuda na doença, muito embora a cura nunca venha a ser total. A vacina eu já a dei anos, mas piorei aos trinta e cinco só o soube depois de parar e voltar a dar para confirmar. Ia ficando cega(os olhos infectavam-me)e a minha pele estava um verdadeiro caos( E JAMAIS HAVIA TIDO ANTES QUALQUER PROBLEMA DE PELE). Mas mas claro que não estou curada de maneira alguma, pois levei anos para que me dissessem que eu tinha fibromialgia e candidiase esófagica, saída directamente de um bloco operatório de um hospital de Lisboa.

Conceição Ramos disse...

Acabou a minha paz, o meu trabalho a minha vida quase terminou,fui desacreditada pela classe médica,as analises nada acusavam, cada dia eu piorava...lutei com todas as garras capaz de estrangular quem me fizesse de coitadinha ou doente mental, e lá veio a analise que dizia que eu tinha tido infecção recente á cândida,alérgica a fungos, alérgica á cândida. Eu quase não conseguia respirar,a garganta sempre inchada, a dor no peito, enfim...
A dieta ajudou,os probióticos também, fiz muitas infecções bacterianas, causadas pela cândida, cada dia uma diferente da outra. Muito cuidado com as sinusites ela pode ser causada por fungos e ao fazer-se essas crises (eu fiz uma atrás de outra)os médicos enchiam-me de antibiótico. Passei da sinusite á faringite á bronquite e tudo com "ite " . Muito cuidado pois essa foi a principal razão da destruição das minhas defesas.Destruída pela nossa medicina, pelos nossos médicos! Conclusão de quem tem sofrido demais na vida:
Efectivamente eu já vinha de trás com um quadro de alergias respiratórias, sempre minimizada, antibióticos, anti-inflamatórios, corticoides, a cirurgia foi apenas o golpe final. Vai dar tudo no mesmo, por cima ou por baixo, a cândida pode afectar todo o organismo mas os médicos costumam achar que isso é mal de cancerosos e muitas outras doenças inclusive sexuais. Mas nada...é só desconhecimento. Se suas defesas estiverem bem a cândida não o afecta. Desde miúda sempre tive muitas aftas, dificuldade por vezes de cicatrização, perguntava porquê aos medicos e nunca nenhum soube responder.Minhas filhas nasceram e vieram com poucas defesas, a minha bebé sei hoje esteve cheia de cândida, e uns dos melhores pediatras do hospital de Faro nunca soube o que ela tinha na pele em carne viva, como a boca coberta de aftas e muita febre. Sei hoje...era candidiase. Teve uma pneumonia e o médico dizia-me "aí mamã cria um complexo de doença na criança"...pois se não fosse eu, ele quase a matava, negligência ou desconhecimento? Uma pneumonia ia levando a minha filha, dois anos a fazer pneumonias, meses a antibióticos, mais tarde infecções urinárias. Ninguém me ajudou eu ia perdendo a minha filha. Muito cuidado porque só nós sabemos de facto o que se passa connosco e o maior problema é o descrédito da classe médica no que dizemos, onde os antidepressivos é a ultima coisa que nos receitam
_Aumente suas defesas e muito cuidado com a sua boca. Urgências de hospitais vá quando estiver quase morta. Hospitais e cano esgoto fica ela por ela. A vacina tem de ser dada com muito cuidado pois a reacção á mesma varia de pessoa para pessoa, e as doses têm de ser controladas pela reacção da pessoa.

Susana Carvalho disse...

Cara Blimunda,
Também em desespero comecei a recorrer à Homeopatia recentemente. Essa farmácia científica de que falaste é pertíssimo de minha casa e portanto, nada a perder e lá fui eu.
Queria saber quanto tempo andaste a fazer tratamento com a medicação de Homeopatia (mais ou menos para eu ter noção, embora cada caso seja um caso).
Beijinhos a todos

blimunda sete luas disse...

Susana,

Já não me recordo exactamente, mas sei que foram vários meses, até porque fiz mais do que um tratamento, com um intervalo entre eles. Boa sorte!

Susana Carvalho disse...

Cuidado com os antibióticos! No meu caso, andei a tomar durante muito tempo por causa de infecções urinárias, mas isso custou-me a saúda da flora vaginal.
Amigos e amigas: deixo-vos uma pequena dica para quem sofre de infecções urinárias recorrentes: comprimidos de arando vermelho! Encontram-nos em farmácias científicas, ervanárias... Isso melhora imenso as defesas e impede as bactérias (E. coli, Klebsiela, etc) de entrarem nas vossas vias urinárias, prevenindo contra esse mal.
Beijinho a todos

Anónimo disse...

cara blimunda:

primeiro quero felicitar-te pelo teu testumunho, um vez que acho que imensa gente aprende com ele e dás ESPERANÇA a quem está a passar por um filme destes...

estou ha quase 2 meses com uma suposta infecção por candida,( porque ja fiz análises que vieram negativas) que nao passa..ja tou desde inicio nos fluconazois semanais e ja pus cremes, ovulos pomadas e pomadinhas..melhoro uns dias, pioro outros....vou seguir o teu conselho e tentar a homeopatia..sempre tive um sistema imunitario algo débil por isso a solução pode estar aí...mas fico muito feliz por ler que estas "bem"...espero poder dizer o mm em breve...ha dias que penso que isto nao vai acabar e só me apetece chorar...

beijinhos e obrigado

MBossa disse...

Gostaria muito de saber qual a medicação que o Dr. Amândio lhe prescreveu. Sou acompanhada por ele desde Abril devido a candidiase recorrente. Ainda toma Alkala N em jejum e o Lepicol. Em tempos tomei Alicandis e Candismic. Agora estou com uma recaída e tenho de lá voltar. Obrigado pelo seu testemunho.

blimunda sete luas disse...

Cara MBossa,

A medicação que fiz na altura, pelo menos a primeira (fiz uma segunda fase de medicação mais virada para o reforço do sistema imunitário, que não registei), está descrita neste post: http://blimunda7luas.blogspot.com/2007/05/candida-albicans-update.html

Não sei se os links ainda estão a funcionar bem. Não se esqueça que cada caso é um caso! Ele saberá o que fazer a seguir. Boa sorte.

Anónimo disse...

Por vezes a candida pode ser tratada com as vacinas do alerologista eu acho quem esta em desespero pode tentar, muitos ginecologistas n conhecem

cris disse...

ola, tenho candida há 25 anos, já fiz todos os tratamentos possiveis nada adiantou, depois de achar este blog procurei um alergologista, estou tomando a vacina já faz quase dois anos, mas até agora não tive melhoras, só a coceira insuportavel que diminui, vou insistir no tratamento, por que é minha última esperança, tenho sintomas de depressão, emagreci muito, acabou com meu casamento, estou sempre de mal humor,mas tenho fé em DEus que um dia vou me livrar disso.
Depois de muitas pesquisas, achei um site de um laborátorio frances, que está em fase de testes uma vacina para candidiase recorrente, já é uma esperança........
Este é o site:/www.pevion.com

Anónimo disse...

Eu tb sofro desse maldito fungo a oito anos e muitos tratamento e melhoras nenhumas, agora dores nos intestinos, e um eczema derivado a ela, estava tão desesperada que recorri a psikiatria, o que a dra me dise que temos que controlar a cabeçita para e candida n se desenvolver, ela enfraquecenos a cabeça, nós andamos tristes e deprimidas logo o nosso organismo altera o ph e ela cresce cresce e adora-nos. Passou-me um tratamento para fortalecer a cabeça e n pensarmos tanto nela ou seja darmos pouca importancia.
Vou começar o tratamento vamos ver o que vai dar, mas o que a dra diz até tem logica.

Anónimo disse...

ola tenho 22 anos e sofro da maldita bicha á cerca d 3 anos, é horrivel ja tomei tantos antibioticos, tantas pomadinhas e tantos ovinhos que já n sei o que fazer, e é vdd os médicos fazem disto como se nada fosse, nao sao eles que sentem esta coisa horrivel! no meu caso ao arder e dar comichão provoca-me muita vontade de urinar e tou constantemente a ir á wc ja fiz muitas analises e ta provado que infessao urinária nao é, gostaria de saber se a voces vos provoca o mesmo? é que isto interfere e muito na minha vida diária de hora a hora th que ir a wc ate fico com vergonha qd tou nas aulas e tou sempre a pedir para ir a wc Ass:Patricia

Anónimo disse...

Grato estou pelo que diz do Dr. Amândio Marques da Ervanária Cientifica Garcia da Horta. Ele é meu cliente e amigo porque eu tenho uma empresa de Fitoterápicos e ele trabalha com alguns dos meus produtos.
Actualmente estou a trabalhar com um equipamento Bio-Laser de Bio-Ressonancia da área da Medicina Energética que detecta a Cândida e além do tratamento que o equipamento faz indica o produto homepático R82 do Dr. RECKEWEG que infelizmente em Portugal não é comercialisado pela DietMed, contudo, o Bio-Laser pode gerar uma preparação Energética Vibracional para melhoria da saúde do cliente num suporte de água+álcool com equivalência a um homeopático. Existem em Portugal alguns terapeutas com este equipamento. Para mais esclarecimentos a quem esteja interessado meu Tel é 937 810 310 ou email:mamleitao@sapo.pt

Anónimo disse...

Blimunda
Li mais alguns dos seus documentos acerca da Cândida e alguns dos comentários.
Como terapeuta investigador fiquei surpreendido com o que li. Cresceu em mim a vontade e disponibilidade para ajudar quem quer ser ajudada. Quero aprender com a vossa experiência e confirmar as reais potencialidades do Bio-Laser equipamento ao serviço da Medicina energética.
Não moro em Lisboa e ainda não faço consultas em Lisboa. Se achar conveniente aguardo um contacto seu para lhe fazer um exame de demonstração sem custos para si, no local que indicar (que tenha uma tomada de 220V acessível).
Acrescento que uma das capacidades do Bio-Laser é testar suplementos alimentares, homeopáticos ou medicamentos numa câmara de Bio-Ressonância e em tempo real mostrar graficamente e em percentagem a resposta do organismo do paciente.
O Bio-Laser revela os processos patológicos, histológicos, causas primárias das patologias, perturbações Psico-fisiológicas, substâncias e factores nocivos, alérgenos e toxidades com uma precisão de 85% de acordo com os testes dos fabricantes. Cada exame e tratamento pode demorar mais de 90 minutos. Aguardo sua resposta. Ass. Manuel Leitão

blimunda sete luas disse...

Caro Manuel Leitão,

Agradeço desde já o seu interesse pelo assunto. Eu própria, como já referi no meu post, tenho nesta altura o meu equilíbrio restabelecido e nem sequer estou nesta altura a fazer qualquer tratamento.

Acredito no entanto que a sua proposta possa interessar a outras pessoas que visitam este blogue por conta deste problema, sugiro que nos deixe um contacto de email para que eventuais interessadas possam contactá-lo.

Anónimo disse...

Blimunda
No meu anterior comentário coloquei:
"Para mais esclarecimentos a quem esteja interessado meu Tel. é 937 810 310 ou email: mamleitao@sapo.pt".

Aguardo o contacto de quem quer ser ajudada e quer ajudar-me a confirmar o poder das novas tecnologias da Medicina energética disponibilizadas pelo Bio-Laser.

Bem Haja pelo vosso trabalho.
Ass.Manuel Leitão

Susana Carvalho disse...

Cara Blimunda, pedia-te encarecidamente algumas informações.

Continuo na minha luta contra a candidíase. Já estou a fazer Homeopatia há algum tempo. Mudei há cerca de um mês a medicação, aliás, mudou-ma o Homeopata. Ele disse que de semana para semana me ia começar a sentir melhor, mas a verdade é que não vejo melhoras significativas. Corrimento branco mantenho algum, embora pouco (nunca tive muito), o que incomoda mesmo é o ardume constante.

Bem sei que cada caso é um caso, mas gostaria de perguntar-te ao fim de quanto tempo na Homeopatia é que deixaste de ter sintomas, ou pelo menos, ao fim de quanto tempo é que sentiste melhoras muito significativas???

Espero que te recordes, porque dava-me jeito ter uma ideia.
Vejo na internet toda uma série de dietas em que se tem que cortar com açúcares, farinhas, batatas, comida ácida, etc, etc, etc. A verdade é que vejo muitas dessas dietas contradizerem-se (numas pode comer-se fruta e noutras não, numas deixam comer mel, noutras não, algumas deixam comer cogumelos e noutras não) e já não sei o que hei-de comer. O Homeopata não me deixou recomendações em relação ao que podia ou não comer.

Tu seguiste alguma dieta específica, ou limitaste-te a cortar o pão, o leite ou os doces???

Obrigada pela atenção dada e espero que arranjes um tempinho para me ajudares com as tuas respostas.

Beijinhos e força para todos.

blimunda sete luas disse...

Susana, em relação à dieta, segui basicamente conforme descrevo no post. Quanto aos efeitos do tratamento, demorou algumas semanas a começar a sentir-me melhor. Os tratamentos homeopáticos não são imediatos, como na medicina convencional. As melhoras!

Susana Carvalho disse...

Cara Blimunda,
Tomavas os teus chás com algum tipo de adoçante ou sem nada? Não consigo tomar chá, porque não estou a tocar em açúcares (nem mesmo os açúcares simples, como o mel e a frutose das frutas).
Mas eu quero tomar chá!!!!!!

Anónimo disse...

Susana Carvalho teoricamente cada pessoa precisa de um tipo diferente de alimentação pois, cada pessoa reage de modo diferente aos componentes de um alimento. Há muitas variedades de misturas alimentares a que, no meu entender, erradamente chamam de dietas. Para facilitar algumas das suas escolhas sugiro-lhe que leia sobre DIETA DO TIPO SANGUÍNEO desenvolvida pelo Dr. Peter J. D´Adamo.
Eu pessoalmente, há 12 anos que sigo as sugestões do Dr. Peter J. D´Adamo mas, na mesma refeição procuro comer só um tipo de hidrato ou um tipo de proteína.
Quando em dias de festa ou eventos sociais como alimentos que devia evitar ou, misturo na mesma refeição, hidratos e proteínas do tipo bacalhau com batatas e arroz doce, pouco tempo depois tenho diversos sinais do tipo inflamações nas gengivas e nas articulações que provocam sangramento das gengivas e dores nos dedos das mãos.
Normalmente bebo quase todos os dias depois das refeições ou ao deitar chás de ervas mas não ponho açúcar.
A minha experiência demonstrou-me que o principal problema da alimentação está na qualidade dos alimentos e suas misturas, mas, a gravidade maior é os aditivos, conservantes, corantes etc. colocados nos alimentos.
Outro problema que tenho constatado, é que os Bioquímicos da indústria alimentar, os criadores da Gastronomia e os cozinheiros profissionais não estudam nem estão preocupados com os problemas que as suas criações provocam no estômago, intestinos e fígado de quem come os alimentos que eles inventam e produzem.
Bons alimentos simples e baratos que pela minha experiência todos devíamos comer diariamente, são as sementes de linhaça e os brócolos ou hortaliças verdes pois estas, em percentagem, têm mais cálcio que o leite de vaca e não causam os problemas que o queijo e o leite de vaca provocam. Dos lacticínios, o mais benéfico e único que como normalmente uma vez por semana sem misturar nada, é o requeijão de leite de ovelha.
Fico a aguardar vossos comentários. Ass. Manuel Leitão

Anónimo disse...

Eu estou à cerca de um ano e meio a tentar ver-me livre duma infecção por Candida, estou desesperada, preciso de ajuda.. Isto está a destruir completamente a minha relação. Tanto eu como o meu companheiro, já não aguentamos mais. Há alguma forma mais discreta de puder entrar em contacto consigo. Por favor preciso mesmo de ajuda.

blimunda sete luas disse...

Estou sempre disponível em blimunda_setluas@mail.pt

Leonor disse...

Olá Blimunda,

Agradeço desde já o seu testemunho sobre a saga candidiase. Também eu me debato acerca de 2 anos com este problema, também ele desvalorizado pela minha ginecologista, que insistia em medicar-me com o gyno-canesten e gyno-pevaril, que nesta fase já não faz absolutamente nada. Finalmente a minha médica de familia lá me receitou o fluconazol, inicialmente toma unica, que também não adiantou de muito, acompanhado de sertopic creme e óvulos. Neste momento, estou a fazer fluconazol uma vez por semana, durante sete semanas, mas no entanto estive a fazer antibiótico por causa de uma cistite e o fungo lá atacou com todas as suas forças. A ver vamos se com o tratamento de fluconazol melhoro, mas confesso que não tenho propriamente muitas esperanças. De qualquer forma, agradeço o contacto deixado sobre o Homeopata, já marquei consulta, que só terei daqui a 3 meses, mas a esperança é a ultima a morrer, pelo que já estou disposta a tudo nesta batalha, que até ao momento tem sido inglória.

Anónimo disse...

Boa noite. Sou homeopata e vi que já foram ditas muitas coisas sobre o tratamento. Tive bons resultados com úteros miomatosos, cistos, etc. Ainda não tive pacientes com Candidiase, mas é reconhecida Candida Albicans. No entanto é preciso considerar cada caso. Em homeopatia não existe prescrição isolada. Esta prescrição (Candida Albicans) pode ser chamada de isoterápico, pois trata-se do princípio que gera o problema (mesma lógica dos semelhantes usada no uso de venenos de cobra para picadas, por exemplo). Para ser uma prescrição homeopática é preciso considerar 3 diagnósticos: O Constitucional (filogenético), o Diatésico (ontogenético) e o Simmillimum, que seria um medicamento que apresenta maior número de características do paciente (histórico e tendências de adoecimentos, traços de carater, etc). Candida Albicans seria um medicamento de fundo que, para pessoas com imunidade relativamente ok, sem grandes históricos de medicamentos alopáticos supressivos convencionais, seria curativo e definitivo. Caso outros sintomas associados estajam presentes(físicos, emocionais, mentais, como os que já foram descritos de forma relativamente distinta para cada enfermo), devem ser considerados outras homeopatias para uso paralelo para estas outras características, ou mesmo para características dos outros diagnósticos acima esclarecidos. Blenorragias, sintoms sifilíticos, gonorreias, ou mesmo "aidetismos", assim como sintomatologias tuberculínicas, alérgicas, dentre outras que denunciem imunidade comprometida em algum sistema ou conjunto de órgãos, merecem muito mais atenção...

Só para constar, pois reduções de tumores benígnos, lipomas, câncros, cistos, miomas, etc, já foram curados em larga escala com uso de homeopáticos administrados com acompanhamento prognóstico adequado - considerando mudanças de potências (CH) e homeopatias paralelas. Em alguns casos, passamos por algumas experiências de agravamento inicial, o que significa que temos o uso certo do medicamento que está expulsando a noxa ou patógeno que está desarmonizando o organismo. Principalmente se o paciente fez uso de medicamentos convencionais que tenham abafado os sintomas mas não curado, terão necessariamente que expulsar a supressão sofrida pelo corpo... Os agravamentos e as reincidências podem significar supressões anteriores que o corpo finalmente consegue expulsar com auxílio homeopatico, ou potência inadequada para o caso. Então homeopatia é para pacientes que enfrentam os sintomas e seus males; que buscam autoconhecimento e amor próprio conscientes. Quem apenas deseja drogas que abafem os sintomas não podem exigir cura, pois tudo depende de nosso enfrentamento. Naturalmente que não temos culpa de vivermos num "mundo alopático". Por isso é prudente ter paciência para que o organismo possa recuperar sua imunidade geral com o auxílio da homeopatia, que é um método fortalecedor da imunidade, equilibrando os sistemas que em cada pessoa em particular tem sofrido maiores agressões ao longo da vida, seja por via externa ou pela própria pré-disposição constitucional... Enfim, tentar de tudo pode até ser prejudicial ou contribuir para a demora da cura pela HOMEOstase... Espero ter contribuído para amornar o tema. Paz no coração.

SOL disse...

PS: HOMEOpatia nem sempre é suficiente. Como já foi dito, depende de como o organismo tem vivido ao longo dos tempos, de seu histórico de enfrentamentos, etc. Usar diversos tratamentos, desde que os terapeutas e médicos estejam em sintonia com a totalidade dos tratamentos que o paciente abre mão, certamente terão efeitos positivos. Caso contrário o paciente deve ser seu próprio leme, e assumir os riscos de ocultar um ou outro método da totalidade de seus cuidadores.

blimunda sete luas disse...

Caro SOL, obrigada pelos dois últimos contributos. Seja sempre bem-vindo. :-)

The Hopeful! disse...

Boa tarde,

Venho aqui deixar o meu comentário, porque este site ajudou-me imenso na busca da cura, que finalmente encontrei, para a sminhas crises recorrentes de candidíase.

Posso dizer que já experimentei de tudo...chegaram até a diagnosticar-me o papiloma vírus e a queimar-me com um ácido, tendo durante anos usado para me lavar sodium lauryl sulfate, porque tinha lido num artigo no jornal, que iam criar uma pomada, feita com base neste produto, que matava o papiloma vírus, o HIv e ainda podia prevenir agravidez( já lá vão 13 anos e nunca mais ouvi falr disto e já vi na internet a tese de doutormanto, na qual foi feita esta descoberta). Este produto aliviava-me alguma coisa, talvez porque me tirasse, uma vez que o usava puro, a sensibilidade toda.

Nada resultava, até que os sintomas despareciam por um passo de mágica e voltavam passado um ano, para me atormentarem mais um ano ou dois.

Quando descobri que não tinha papiloma vírus, através de análises, resolvi usar de novo o Gino-Canesten, mas este não resultava.

Experimentei, então, os lactobacilus (incluindo o famoso Baciginal) e ácido caprílico, que me atenuavam os sintomas e usei o geliofil, que resultou nas primeiras vezes e depois deixou de resultar e até me começou a queimar e 20 dias seguidos a tomar o Sporanox, que resultou da primeira vez, mas na segunda já não estava a fazer efeito...Foram 13 anos de crises recorrentes...

Finalmente resolvi, depois de pesquisas na internet, começar a tomar uma colher de chá numa chávena de chá de bicarbonato de sódio, por dia e MILAGRE ou talvez não: já há um ano que não tenho qualquer crise.

A questão está toda no excesso de acidez do organismo, que faz com que fungos, bactérias e vírus proliferem (também nunca mais tive amigdalites, que tinha recorrentemente.

O bicarbonato equilibra o PH do organismo, que idealmente se deve manter nos 7.3-7.4 e reforça assim o sistema imunitário, que estava debilitado devido também à toma de antibióticos, durante anos a fio.

É fácil( basta ir ao supermercado), é barato e mata milhões de fungos!

Espero que o meu testemunho ajude muita gente, porque eu sei bem o sofrimento, que provoca a candidíase recorrente!

Já agora, a alimentação não deixa de ser importante, porque os fungos alimentam-se de açúcares e amidos e porque também é fundamental para ajudar a equilibrar a acidez do organismo.

Espero que a minha "receita" resulte convosco também, uma vez que mais nada resultou...lavava-me e lavo-me há anos, com lactacyd, uso cuecas de algodão, deixei praticamente de usar calças, cheguei também a ir a uma imuno-alergologista, depois de ver este blog e a fazer análises, que deram negativo a tudo, incluindo na reacção ao latex, que eu já achava que não seria e ela disse-me, na altura, , para meu espanto, que não havia certezas de o tratamento com as vacinas dar qualquer resultado....a mimpareceu-me que ela não sabia muito bem do que é que eu estava a falar e a hipótese que ela me deu n altura, como possvile causa do problema foi alaergia ao ácaros, que eu até tinha muito pouca...pareceu-me,e e, pelos vistos, toda a gente tem...esta era, na altura, a minha última esperança...

Pelo que...bendito Bicarbonato de Sódio!

E já agora...obrigada, Filomena, por teres colocado à discussão neste blog este assunto, que faz sofrer muitas mulheres, em silêncio!

karen disse...

Parabéns seu blog foi muito importante para mim. Hoje estou bem melhor. Tive que dar tempo ao tempo, aos antibióticos, às calças justas e mesmo as não justas, calcinhas só de algodão e melhor ainda dormir sem elas, sabonete muito pouco sem ph ácido. Muita água, muita fé, muita paciência. Tudo passa e o tempo é rei. Seu blog como um todo é muito bom, escreves muito bem muitos assuntos.
Abraço do Brasil, Karen

blimunda sete luas disse...

Obrigada Karen, pelas simpáticas palavras e faço votos de que tudo continue a correr pelo melhor.

Abraços de Portugal! :-)

Anónimo disse...

Olá Blimunda!

Estou fazendo o tratamento com a vacina há 1 ano. A médica me passou 4 frascos(fraco, médio, forte, e extra-forte). Até a dose média eu não tive nenhum sintoma, porém comecei a tomar a forte e meus seios estão muito inchados(não estou grávida...rs). Gostaria de saber se você teve alguma reação à vacina?

blimunda sete luas disse...

Olá, a única reacção que fui tendo ao longo do tempo era local, no braço, no sítio da picada, um ligeiro inchaço. As melhoras.

Anónimo disse...

Cara Blimunda,
Poderia informar se conheces a Farmacia Turcifalense e se é confiável? Estou a procura dos óvulos Isadin & barcilus que não há no Brasil e estes constam no site desta farmácia.
Obrigada se puder responder.

Questiana disse...

Comecei a fazer a imunoterapia esta semana. Tenho candidiase há 2 anos e uma interminável lista de medicamentos alopáticos, homeopáticos e fitoterápicos sem sucesso algum. Mantenho um arquivo no PC com todos os registros de tudo que fiz e eles já está na terceira página. É muita coisa, tem tratamentos de 6 meses... e nada! Gostaria de saber se vc fez, juntamente à vacina, algum outro tratamento para potencializá-la, como anti-fúngicos, dieta, etc? Perguntei isto a médica e ela disse que não. Apenas sinalizou a possibilidade de eu tomar um medicamento para imunidade chamado IMUNOGLUCAN. Pesquisei na net e vi que ele é uma vacina intramuscular (aaaaiii!!) que se toma em algumas sessões (aaaiii!!). Bom, eu tô pra qualquer coisa... se for preciso, tomo esta tb. Vc pode me falar se fez algo junto com a vacina? Obg, Blimunda.

blimunda sete luas disse...

Questiana, eu fiz várias coisas ao mesmo tempo. A vacina foi o tratamento mais prolongado, mas não foi ele que me tratou as crises. Acredito que o que resolveu o meu problema foi mesmo o tratamento homeopático que realmente incidiu bastante na toma de suplementos alimentares de reforço da imunidade. Encontra nos posts sob este marcador, a informação de todos os medicamentos (homeopáticos e outros) que tomei. Atenção, se não estiver em portugal terá que se concentrar nas substâncias activas dos medicamentos, e não tanto no seu nome comercial. As melhoras!

Questiana disse...

Eu fiz tratamento homeopático (um seguindo orientações de farmacêutico e outro, mais longo, seguindo orientações médicas) por um tempo, mas não adiantou. Era uma tal de gotinha de não-sei-o-quê, umas bolinhas doces e uns óvulos vaginais. Segue abaixo meu tratamento com médico homeopata. Sinceramente, foi o pior dos tratamentos pq não me deu nem um minuto se quer de alívio! :( Minha candidiase foi confirmada através de cultura para fungos, meus exames sobre as defesas do organismo (CD4+ / CD8+ / IgA / IgG / IgM) são ótimos, não tenho alergias confirmadas (os testes de substâncias e alimentares não acusaram alergias) e nenhum histórico que justifique esta infestação desenfreiada à cândida. parece que ela ficou para chegar! Queria engravidar, mas como me explodindo em fungos? Por 3 meses fiz uma dieta radical, cortando quase todo alimento (sim, pq TUDO ou tem açúcar, ou tem glúten, ou é fermentado, ou é cítrico). Esta foi uma fase terrível, mas valeria à pena e eu teria continuado, caso tivesse conseguido passar ao menos uma hora sem ter que levar minha mão à vagina para coçá-la até fazer sangue.

Meu tratamento de ameopatia:
-Fórmula em cápsulas (Vitamina C 500mg, Cobre Quelato 0,5mg, Ácido Fólico 100mcg, Zinco Quelato 10mg, Coenzima Q10 50mg, Selênio Quelato 25mcg, Mangânes Quelato 1mg, Alfa Tocoferol 200mg, Asp. Magnésio 250mg, Vitaminas do Complexo B 60mg). Tomar 1 cápsula depois do café da manhã;
-Composto (Ignatia 30 CH, Valeriana 30CH, Ambra grisea 30CH, Coffea cruda 30CH, Capsicum 30CH, Thuya 9CH, Calcarea sulphurica 6CG). Tomar 5gts 4x ao dia.
-Aurum Metalicum. Tomar 5 gts pela manhã
-Rescue Remedy. Tomar 5gts 2x ao dia.
-Candida albicans. Tomar 4 gts à tarde

Ed disse...

Olá, depois de dois anos de ataques de candidíase, comecei um tratamento com vacinas que está previsto para durar um ano, gostaria de saber sobre os antiácidos para ajudar no tratamento, qual o melhor? andei lendo sobre o prelief
mas tem algum compatível que possa estar encontrando aqui no Brasil?

Mary disse...

COlá
Fiz cultura de secreção e deu negativo para fungos, mas mesmo assim resolvi começar um tratamento homeopatica que vem surtindo efeito, estou a 1 mês com a crise vaginal controlada, tenho apenas um pequeno resquicio na boca, mas estou fazendo exames e volto a homeopata esta semana. Cada caso é um caso, mas busquem ajuda, porque isto enloquece. Espero ficar com a Blimunda completamente "curada", sem pequenas crises,sem nada. Estou a tomar por enquanto magnesia muriatica, e mudei a dieta.

Mary disse...

Blimunda
Quanto tempo depois do inicio do tratamento homeopatico vc começou a sentir-se melhor? Realmnte foi a homeopatia que te curou ou a vacina???

Anónimo disse...

Parabéns blimunda pela coragem com que enfrentaste e expuseste o teu problema. Dás-nos força e coragem. Não é tarefa fácil, nós mulheres desacreditadas, diáriamente encontramos profissionais que desvalorizam os nossos sintomas. Será que um olhar atento, a medicação apropriada e os exames certos não evitariam horas de sofrimento,...?sem falar dos gastos que são muitos!
Estou com candidiase e gardnerella recorrente (faz 2 anos), fui recentemente à imunologia que disse não me puder passar a vacina, só se fosse alérgica ao fungo, fiz analises de sangue e o resultado foi negativo...na tua situação como é que foi?
Obrigada, beijinho

The Hopeful! disse...

Posts colocados por mim no forum A NOSSA VIDA

Junho de 2006:

Boa tarde,


Posso dizer que já experimentei de tudo...chegaram até a diagnosticar-me o papiloma vírus e a queimar-me com um ácido, tendo durante anos usado para me lavar sodium lauryl sulfate, porque tinha lido num artigo no jornal, que iam criar uma pomada, feita com base neste produto, que matava o papiloma vírus, o HIv e ainda podia prevenir agravidez( já lá vão 13 anos e nunca mais ouvi falr disto e já vi na internet a tese de doutormanto, na qual foi feita esta descoberta). Este produto aliviava-me alguma coisa, talvez porque me tirasse, uma vez que o usava puro, a sensibilidade toda.
Nada resultava, até que os sintomas despareciam por um passo de mágica e voltavam passado um ano, para me atormentarem mais um ano ou dois.
Quando descobri que não tinha papiloma vírus, através de análises, que nem se deram antes ao trabalho de me mandar fazer, resolvi usar de novo o Gino-Canesten, mas este não resultava.
Experimentei, então, os lactobacilus (incluindo o famoso Baciginal) e ácido caprílico, que me atenuavam os sintomas e 20 dias seguidos a tomar o Sporanox, que resultou da primeira vez, mas na segunda já não estava a fazer efeito...Foram 13 anos de crises recorrentes...
Finalmente resolvi, depois de pesquisas na internet, começar a tomar uma colher de chá de bicarbonato de sódio num copo de chá ou de água, por dia e MILAGRE ou talvez não: já há um ano que não tenho qualquer crise.
A questão está toda no excesso de acidez do organismo, que faz com que fungos, bactérias e vírus proliferem (também nunca mais tive amigdalites, que tinha recorrentemente.
O bicarbonato equilibra o PH do organismo, que idealmente se deve manter nos 7.3-7.4 e reforça assim o sistema imunitário, que estava debilitado devido também à toma de antibióticos, durante anos a fio.
É fácil( basta ir ao supermercado), é barato e mata milhões de fungos!
Espero que o meu testemunho ajude muita gente, porque eu sei bem o sofrimento, que provoca a candidíase recorrente!

Já agora, a alimentação não deixa de ser importante, porque os fungos alimentam-se de açúcares e amidos.
Espero que a minha "receita" resulte convosco também, uma vez que mais nada resultou...lavo-me há anos, com lactacyd, uso cuecas de algodão, deixei praticamente de usar calças, cheguei também a ir a uma alergologista e a fazer análises, que deram negativo a tudo, incluindo na reacção ao latex, que eu já achava que não seria e ela disse-me, na altura, que não havia certezas de o tratamento com as vacinas dar qualquer resultado....esta era, na altura, a minha última esperança...
Pelo que...bendito Bicarbonato de Sódio!
E tanto quanto eu sei, realmente a cândida também se instala em grande quantidade nos intestinos, bem como no cérebro, para além de aparecer associada aos tumores...

É mesmo essa a via, a do equilíbrio entre as bactérias boas e as más eos antibióticos matam todas...
A cura que eu descobri agora é muito mais barata...um saco de bicarbonato de sódio da margão custa menos de um euro e com a sua toma previno outras doenças também, como amigdalites, gripes, constipações, infecções urinárias...É só poupar em medicamentos ultimamente!
Aconselho vivamente...Os fungos e as bactérias desenvolvem-se em meios ácidos.
E foi este blog (a Nossa Vida), bem como o blog da Blimunda, que me pôs no caminho certo da cura...por isso...bendita internet também, porque, apesar de eu não gostar muito de computadores e de internet, se não fosse a democratização da informação, que esta permite, provavelmente nunca teria conseguido descobrir a minha cura!

The Hopeful! disse...

Quinta, 21/02/2013 - 13:16
#102
SOL70


Últimas novidades:

Continuei sem qualquer crise de candidíase até Dezembro de 2012, altura em que me vi obrigada, graças ao Inverno rigorosíssimo, que tivemos, a tomar um antibiótico, o que evitei durante dois meses e claro, logo a seguir tive uma candidíase.

Reforcei a dose de bicarbonato de sódio, comprei probióticos orais e vaginais, que ainda usei durante um mês e tomei complexos vitamínicos, para reforçar o sistema imunitário e parece que se foi embora de vez outra vez!

Passei, entretanto, a usar bicarbonato de sódio puro, que compro na farmácia e que ainda é mais barato que o da Margão!

Rápidas melhoras para todas!





Olá, Ysa!

Eu tomo uma colher de chá numa chávena de chá de bicarbonato de sódio todos os dias em jeum, de manhã e misturo também uma colher de chá de cloreto de magnésio, uma colher de sobremesa de mel, um fio de azeite e sumo de meio limão (tudo biológico).

Entretanto tive de tomar um anti-parasaitas forte, por causa de uma maldita giárdia liamblia, que apanhei em Cuba durante a minha lua-de- mel e logo a seguir, como é da praxe (na bula dizia que isso podia acontecer) tive a candidíase mais forte dos últimos anos!

Já nem os antibióticos me deixam assim!...Conclusão: além dos probióticos e de reforçar a dose de bicarbonato, tive de começar a tomar o Sporanox, porque estava insuportável!

Já está a ir ao sítio e depois é continuar a fazer o costume para me manter bem!

As melhoras para todas (eu incluída)!Sorriso



Sexta, 14/06/2013 - 15:59
#137
SOL70



Olá, Ana Cristina!

Podes dizer-nos onde compras esse candidal?

É que com o desespero recorri imediatamente ao do costume, mas pode ser que esse produto natural me resolva o problema e sem os efeitos secundários do sporanox...pelo menos para uma próxima vez, que eu espero que seja daqui a muito, muito, mas mesmo muito tempo! Que as energias deste mundo me ajudem a não me ver obrigada a tomar antibióticos, nem anti-parasitas! Gargalhadas

As melhoras para todas (eu incluída)! Sorriso

The Hopeful! disse...

Boa tarde, Blimunda!

Podes colocar aqui o nome dos anti-ácidos e dos anti-fúngicos naturais, que o naturopata te indicou?

Obrigada mais uma vez!

The Hopeful! disse...

E queria fazer uma correcção aos meus comentários anteriores: o meu primeiro post no forum A Nossa Vida foi em Junho de 2010 e não de 2006, como erradamente escrevi.

Anónimo disse...

Por favor Blimunda...estou em desespero,tenho essa maldita candidiase há quase 4 anos,e depois de inumeras tentativas,de me curar,resolvi passar com um alergista,que me receitou tomar as vacinas..to com medo,devo tomar???Obrigado desde já..

Rimbaud no Café de Flore disse...

(...) Olá Blimunda,( vejo que o sonho e a perseverança do personagem de Saramago te norteiam) ... chego mais tarde a esta conversa porque os caminhos do "desespero" e este instrumento de pesquisa me trouxeram até ti. Muito teria para dizer, mas abreviando, porque ler comentários e ser solicitada para partilhares a tua experiência, deve tomar-te uma boa parte do teu tempo.

Então é assim: eu sofro de candidiase de repetição que, nos homens segundo o local onde se situa no pénis, tem o nome de belanite ou postite. A via sacra porque continuo a passar, ainda que não tão intensa como a que descreveste, tem um efeito enormemente devastador sobre o meu equilíbrio afectivo/emocional, com consequências na ruptura da relação e sequelas que se traduzem na minha intimidade com mulheres.

Não tomei todas as drogas que apontaste nos diferentes textos que escreveste, mas tive a mesma experiência clínica com alguns médicos que inicialmente desvalorizaram a situação e que posteriormente mostravam incomodo por terem que me observar. Coisas da mente de médicos "chiques" a quem incomoda exercer a profissão com doenças do foro intimo, em homens.

Tenho alguns amigos que consideram imenso a homeopatia, alguns mesmos formados nessa abordagem alternativa a que o meu cepticismo tem resistido. Mas ler a tua "confissão" e vivendo eu uma experiência análoga, vou acreditar que é possível sair , por longos períodos, deste inferno. Quiçá até para sempre. Tomei nota dos productos com que te tratas. Se puderes dir-me-ás onde os adquiriste.Em particular o Alkagin. Já que estou em vias de iniciar uma experiência higiénica com "permaganato de potássio".

Por fim agradecer-te a generosidade e o altruísmo pela partilha da tua experiência, e partilhar também, um nome da homeopatia, que não conheço pessoalmente, mas que virtual e responsavelmente divulga a sua "ciência" e é de uma inexcedível generosidade no apoio a quem, por esta via o solicita. E eu, um céptico mais, guardei o link da sua página, para na oportunidade em que o desespero, e às vezes é intenso, me levasse a desacreditar (neste caso) nas abordagens da medicina convencional.

http://josemariaalves.blogspot.pt/search?updated-min=2013-01-01T00:00:00Z&updated-max=2014-01-01T00:00:00Z&max-results=50#uds-search-results

Um bom dia para si e muito obrigado pela partilha

Rimbaud no Café de Flore disse...

(...) Cara Blimunda, no intuito de abreviar o possível o meu comentário esqueci-me de mencionar que, eu também pratico natação 3 vezes por semana. Mas sempre que referi a hipotética associação entre esta actividade e as crises de candidiase, negaram-me essa possibilidade.
Percebeste da tua experiência se haveria alguma relação constatável ???

Bom dia, mais uma vez.

Rita Silva disse...

Olá Blimunda. Conheço o teu blog desde 2007/2008 quando pesquisava na net sobre candidiase. Na altura pouco se falava na questão. A verdade é que tenho este problema há já 10 anos (tenho agora 29). Durante um ou dois anos não tive e depois vem e desaparece e vem. Já gastei milhares de euros com médicos medicamentos. Também sigo a tua cura vou a todos os médicos. Encontrei algumas coisas pelo caminho que me ajudam a controlar a cândida, mas ultimamente ando outra vez mais em baixo, estou há três meses com a candidiase. Tenho uma dúvida para te pôr: a minha alergologista disse me que não podia dar me a vacina porque eu não sou alérgica à cândida. Fiz uma análise ao sangue que deu negativo. Só quem é alérgico pode tomar a vacina? Sabes de algum alergologista que recomendes no Porto? obrigada.

Anónimo disse...

Boa tarde Blimunda,
Agradeço uma tão útil exposição e discussão deste assunto pois foi um importante ponto de partida para a minha atual recuperação (que espero resulte!). Confesso que a urgência na solução do problema que é menosprezado por todos e que começava afetar-me psicologicamente foi o que me levou a descrever-vos também a minha saga.
Há 2 anos e meio que sofria ininterruptamente de crises de candidíase vaginais que me foram sendo tratadas pela medicina convencional com antifúngicos locais e orais como aqui têm descrito. Passei por todas as marcas de produtos farmacêuticos, sem atingir o objetivo de debelar a causa e ainda por cima consegui dar conta minha flora vaginal e da minha saúde.
No desespero de causa comecei a ler sobre o assunto e concluí que as causas da candidíase crónica são uma baixa do sistema imunitário e a acidificação do nosso organismo, denominada de acidose.
Tenho mais umas coisas a dizer sobre o assunto que mandarei noutros comentários e que espero ajudem.

Anónimo disse...

Envio o seguimento do comentário anterior.

O que é que isto significou, que após as últimas crises em dezembro e Janeiro passado decidi mudar de ginecologista mais uma vez (4), ir a um nutricionista e contactar uma dermatologista especialista em ginecologia mas já reformada.
Da minha busca fiquei a saber que as análises ao exsudato vaginal normais de nada nos servem, pois não distinguem se temos a Candida albicans ou outra espécie que com a toma de tantos medicamentos já devem de ter proliferado. Assim sendo irei fazer uma análise no Instituto Dr. Ricardo Jorge que identifique as diferentes estirpes e qual a sua sensibilidade aos antifúngicos. (quem puder ser seguida no Hospital de Santa Maria, a ginecologia juntamente com a dermatologia costumavam fazer os estudos nos seu próprio laboratório de micologia).
Em complemento, estou a seguir uma dieta que por agora será mais rigorosa, livre de glúten, de lactose, de açucares (a base de “alimento” da cândida) e de leveduras. O que acontece é que o glúten “bloqueia” a absorção dos nutrientes no nosso intestino e como que o impermeabiliza. Os açúcares presentes nos hidratos de carbono processados como o pão, massas, etc, são a base de alimento do fungo e as leveduras industriais também não ajudam.
Assim para já a minha alimentação que já não era má passou a ser muito mais equilibrada, com refeições ricas em vegetais frescos, proteínas animal, algumas nozes, cereais sem glúten, antifúngicos naturais (alho, cebola, coentros, salsa, tomilha, chá de camomila, chá de pau d’arco), acompanhando sempre com água com PH>7 (água da torneira em repouso durante 24h, serve). (existe muita informação disponível sobre assunto é só pesquisarem).
Comecei também a toma de suplementos alimentares que nesta fase de reposição das condições de saúde me foram explicados como muito importantes:
- probióticos (para repor a flora intestinal) (ex. baciginal);
-ácido caprílico (antifúngico muito eficaz no controlo da câncida);
- Prelief (para o controlo do Ph dos alimentos mais ácidos como ex. o café);
- ZMA (zinco, magnésio e vitamina B6) (todas as vitaminas B são importantes nas doenças intestinais e vaginais);
- óleo de peixe (rico em ómega 3);
Para a reposição da flora vaginal estou a fazer comprimidos vaginais (ex.bacinal) e lavagem com Alkagin (mantem o PH básico) alternada com Oleoban (contém óleo de côcô que é um antifúngico natural).
Como não satisfeita posso confessar-vos que para combater a presença do fungo decidi atacar com todos os meios e como me foi explicado que a vacina não é sempre bem sucedida fui ao encontro de uma técnica utilizada noutros países e que por cá poucos falam que é a Hidro-colonterapia ( a mesma tem muito sucesso só que não dá dinheiro às indústrias farmacêuticas e médicas. É esta a verdade.) E estou a fazer Auto-hemoterapia para melhorar os níveis de imunidade.
Estranho é que estas duas são feitas por profissionais de saúde, estão vocacionadas para ambas as causas do problema, sempre existiram e como que desapareceram ou foram passadas para segundo plano!
O que é certo é que já passou mais de um mês e estou sem os sintomas do costume e sintomas outra pessoa. Ainda não estarei livre por isso vou continuar a ser acompanhada por todos os profissionais até ficar garantidamente sã.
Espero ter dado mais um contributo pois este é um caso de saúde pública, sem dúvida.
Obrigada





Catarina Rodrigues disse...

Finalmente alguém. Deus meu, ando desesperada --' Por incrível que pareça só hoje fui à ginecologista por só ter conseguido marcação pra este mês. Pelos exames que me mandou fazer devo ter aqui algum fungo. Tudo isto começou com uma infecção urinária. Quando terminei o antibiótico, fui ao urologista, fiz nova urocultura e deu negativa para bactéria. E eu pensava "mas se não tenho bactéria, porque é que ainda tenho sintomas?". Depois consultei o meu clínico geral que me receitou um anti ácido, prelief. Ando nisto desde o Natal. Irei amanhã à farmácia comprar o que a médica receitou, só espero que resulte. Quero apenas perguntar-te, além da coceira, que outros sintomas tiveste? Obrigada. Tudo de bom para ti :)

blimunda sete luas disse...

Catarina,
O Prelief foi o anti-ácido que o homeopata começou por me recomendar. Vais no bom caminho. :-) convém fazer um exame que ateste de facto que se trata de fungo. eu tinha sobretudo a comichão, mas também muito ardor, sobretudo nas relações sexuais. E um corrimento muito abundante, branco espesso. se comprovares que é mesmo fungo, passa pelo celeiro dieta e compra ácido caprílico. é um anti-fúngico natural. Chá de camomila, é um anti-inflamatório natural. As melhoras! :-)

Catarina Rodrigues disse...

Obrigada querida. Quantas vezes por dia me recomendas tomar o chá?

Anónimo disse...

A minha luta com a candidíase
Tudo começou a 16 de Abril deste ano. Estava perto do fim da menstruação e neste mês tinha optado por uns pensos da Evax que tinha comprado em promoção no Pingo Doce. No fim do dia 16 comecei a sentir uma sensação de assadura na zona um pouco abaixo da vulva. Pensei que tivesse sido uma irritação banal da pele. Como estava com pouco fluxo no dia seguinte descartei o penso higiénico (que por ser a única coisa que tinha feito diferente, calculei logo ser o causador do incómodo) e foi assim que fui trabalhar. A dor era alguma (bastante até) mas coloquei um pouco de Halibut para me ajudar a suportar.
Dia 17 de Abril: Passei o dia todo com sensação de assadura. Nem o Halibut ajudou.
Dia 18 de Abril: Fui a um aniversário (felizmente estava de férias) e comecei a sentir algum incómodo vaginal. À noite cheguei a casa e como já me sentia muito “assada” fui ver com o espelho o que se passava lá em “baixo”. Primeiro susto: - Estava cheia de borbulhinhas vermelhas, pequenos pontinhos, tipo alergia. Fui-me deitar e pensei que amanhã seria um dia melhor.
Dia 19 de Abril: Acordo cheia de comichão. Vagina toda vermelha, pontinhos e comichão com fartura. Férias da Páscoa. Médica ausente, fim-de-semana e pleno Sábado. Em conversa com a minha mãe e no desespero das primeiras horas e sem apoio médico em breve decidi dar início a algum tipo de tratamento. Tinha tido candidíase há seis meses atrás e os sintomas eram muito semelhantes se bem que desta vez não tinha qualquer tipo de corrimento esbranquiçado. Só ardor, comichão e sensação de queimadura. Optei por colocar Dermofix, creme que tinha usado da última vez. Sei que não é a melhor ideia automedicar mas entre aquilo e nada pareceu-me uma boa opção em vez de esperar em sofrimento até Segunda-feira altura em que iria contactar a médica. Sem resultados. O creme parecia não fazer nada ou antes parecia até agravar.
Domingo, 20 de Abril: O dia foi de agravamento da situação. À noite já estava inconsolável. Pensei que faltava complementar com algo via oral. Tomei o único Fluconazol que tinha em casa a conselho de uma assistente farmacêutica. O pensamento foi se tinha resultado e tratado da última vez também iria funcionar desta. Segunda ia telefonar para a médica.
Segunda, 21 de Abril: Sem resultados alguns de tratamento ligo para o consultório. Pior notícia de sempre: - A Dra. estava em férias e só voltaria daí a 8 dias. Estava LIXADA! Com “F” grande. Tinha que recorrer a outro profissional de saúde mas quem? A única referência que tinha 8 sim porque nestas coisas de ginecologia é bom ter referências e saber o máximo sobre quem está do outro lado, era uma médica de há muitos anos atrás, menos simpática, mais fria mas que dado o desespero teria que servir. Ligo para marcar. Consulta com ela só na Quinta dia 24 de Abril. SOCORROOOOOOOOOOOO! Haviam passado 3 dias de sofrimento e eu já estava a subir as paredes. Mal sabia eu o que estava para vir.

Anónimo disse...

Dia 22, 23 de Abril: Ardor, comichão, sem corrimento. No trabalho todo o dia sentada a tentar concentrar-me. A minha produtividade deve ter baixado para metade. Começo a ficar frágil mas com esperança porque a Quinta-feira estava próxima. Deixei de me lavar com Alkagin (produto que me havia sido receitado no último episódio de candidíase há seis meses atrás). Fiquei fan e usava-o de manhã e á noite. Mas por esta altura já nem água conseguia suportar.
Quinta, 24 de Abril: Consulta logo pela manhã. Estava cheia de “boas vibes” apesar de tudo e certa de que agora com o devido acompanhamento tudo ia melhorar. De salientar que durante estes dias continuei a fazer o Dermofix com aplicador para fazer terminar o que havia começado assim não havia desculpa de não ter ficado curada. Fui a primeira consulta do dia, até fui bem tratada. “Como a sua pele está filha”, deixou-me perceber que tinha motivos físicos para ter sofrido tanto naqueles dias. Expliquei-lhe o tratamento que estava a fazer e ela disse-me que o Dermofix não fazia nada (era ineficaz) porque o que eu tinha era candidíase. Um fungo. Estranho ter sido este o creme usado para a tratar da última a vez por outra médica mas isto já se sabe que cada um diz a sua. Receitou-me GynoCanesten com aplicadores e Flagyl em óvulos. Para alternar durante x dias. Um dia óvulo um dia creme. Depois interromper, deixar vir a menstruação e repetir o ciclo pelo mesmo número de dias. Tomar também Atarax para reduzir a comichão. Só à noite por causa da sonolência que causa. Cool! Comecei o tratamento assim que sai da médica tal como ela me havia dito. Não havia tempo a perder.
Sexta, 25 de Abril: Apesar dos dias no trabalho serem uma autêntica tortura por estar sentada cerca de 7 horas por dia, até não foi dos piores. O óvulo parecia aliviar e estava no bom caminho. Fui sair com o namorado e até comentei o alívio de finalmente depois de quase uma semana estar finalmente um pouco aliviada. Estava cansada de tudo girar em torno da minha vagina. Não há pachorra! Hoje era noite de colocar GynoCanesten.
Sábado, 26 de Abril: Apesar de a médica ter dito para ter relações à vontade que por ter creme não ia contaminar ninguém desmarquei o fim-de-semana fora. Não estava à vontade assim. Por sua vez o creme não estava a ser tão “amigo” como o óvulo. Comecei a sentir uma acidez, aquela sensação de boca que acabou de comer limão mas lá em baixo. Devia ser normal. Era o creme a atuar e diz a sabedoria popular que o que arde cura. Aguenta menina! À noite viria o óvulo para ajudar.

Anónimo disse...

Domingo, 27 de Abril: O óvulo não parecia ter sido tão eficiente desta vez. Agora tinha um novo sintoma: - Acidez. A comichão já era. O Atarax nisso foi bom. Mas voltando à nova mazela. Já não tinha pontinhos vermelhos mas tinha vermelhidão geral. Tipo inflamação. Minha questão era: - Após 4 dias de tratamento não devia estar a sentir melhor, já que só faltavam 3 para o fim?
Segunda, 28 de Abril: Estava no trabalho e já não tinha posição para estar. Tinha que continuar a dar ao litro, sorrir, fazer de conta que estava tudo bem que queixar-me destas coisas em ambiente laboral seria uma vergonha e no fundo a maioria das pessoas não compreende, julga e faz pouco. Não estava bem por isso no desespero decidi que ia contactar a minha médica de sempre (em quem tanto confiava) para me salvar deste Inferno. Expliquei a situação e foram muito prestáveis. No fim do dia passaria pelo consultório.
Quando lá cheguei e fui analisada a Dra. Explicou que afinal não era um fungo mas sim uma bactéria e que se tratava de uma vaginose. Acabei por me desfazer em lágrimas tentando explicar o meu desespero e ela foi bastante compreensiva. Receitou-me uma nova leva de medicamentos. Desta vez, Dalacin V em creme com aplicadores (para colocar à noite), Advantan, um creme com cortisona para colocar no exterior, Baciginal comprimidos vaginais e uma espuma de lavagem de nome Ginexid. Havia uma nova esperança. Mal podia esperar para curar isto (bactéria ou fungo). Eu queria era voltar a ser saudável e por um fim a esta odisseia de horrores. Nota: Fiquei um bocadinho de pé atrás quando li na bula tanto do Dalacin como do Advantan que os efeitos secundários poderiam ser candidíase. Mas “wtf”, os médicos sabem melhor que eu por isso nada de fazer filmes
29 e 30 de Abril: Mesmo sem grande alívio não estava a deixar-me ir pela via do desespero. Continuava a trabalhar apesar de ter estado um dia em casa de baixa, mas tinha que voltar ao ativo devido a obrigações inadiáveis. E lá estava eu, em cada lugar, em cada momento, eu e a minha vagina a lembrar-me de que estava ali a sofrer e que não me ia dar tréguas tão cedo. Pequeno ponto de situação em relação a vida amorosa: líbido? ZERO! Desmarcação de mais umas férias desta vez prolongadas para ver se desta o tratamento era mesmo eficaz e não danificava nada por querer ter sexo. Logo me vingaria quando estivesse curada. Namorado ultra compreensivo resta saber até quando já que eu já estava sem grande paciência para tudo!

Anónimo disse...

1 e 2 de Maio: Férias e praia. Ir ou não ir. Porque não? Água do mar é fria e eu andava a fazer gelo, era capaz de fazer bem. Assim foi. Para falar a verdade foram os únicos dias em que senti alívio. No mar era livre e na toalha o fresco do ventinho a secar o biquíni era divino. Contudo na zona do clitóris sentia uma hipersensibilidade anormal. Mas pensei que seriam sequelas que rapidamente iriam desaparecer. Ao final do dia começou a acontecer uma coisa estranha e bastante incómoda. O creme Dalacin que colocava com aplicador todas as noites, saia ao final do dia numa espécie de bolha de água e creme que explodia nas minhas cuecas e me deixava numa situação lastimável. Aguenta rapariga é para o teu bem.

3 e 4 de Maio: Não estava mal, mas também ainda não estava bem e o tratamento ia acabar no dia seguinte. Sentia um pouco de acidez mas provavelmente eram restos de algo em recuperação. Cheguei mesmo a sonhar que no dia seguinte iria ligar à médica agradecendo a sua ajuda. “Obrigada por me ter tratado Dra.” Eu queria era voltar a ser feliz por completo. Por esta altura a minha feminilidade estava ferida e humilhada depois de tanto enxovalhanço de químicos mas a cura estava próxima. Pensava eu!
5 de Maio: de volta ao castigo, como quem diz trabalho, todo o dia sentada, a acidez começou a aumentar e às tantas parecia que me escorria ácido de dentro da vagina. Que raio. Nem me conseguia concentrar. Cada sorriso, cada gesto, cada momento era as minhas emoções em paralelo com aquela sensação. Foi aí que parei para pensar: - Caramba, estou há quase 20 dias a viver em função da minha vagina e da dor. Todo o dia, como um cabo que não se desliga não houve um único momento em absoluto em que eu n a sentisse a manifestar, quer fosse muito ou pouco. Alguma coisa não estava bem. Em desespero, decidi ligar para um número de telemóvel que me havia sido dado pela ginecologista para a contactar em caso de urgência. Na altura fiquei deliciada com o gesto. Senti que estava altamente apoiada e em respeito decidi que só a aria “chatear” quando precisasse mesmo (sim porque depois da choradeira na última consulta não queria que ela pensasse que eu era uma louca chata).
Contactei-a e talvez não tenha sido clara mas disse-lhe que depois de finalizado o tratamento estava longe de estar boa e precisava de ajuda. A Dra. respondeu-me prontamente: “Quando me pode vir ver?”
“Assim que possível” retorqui.
“Então venha sexta-feira.” Disse a Dra.

Anónimo disse...

A resposta não era bem o que eu queria ouvir e como não estava em agonia nem insisti muito para ser antes porque sabia que ela só dava consultas à segunda e sexta em Lisboa e eu sem carro não podia ir a outros consultórios onde ela estivesse. Mas por momentos tinha pensado que ela me ia sugerir alguém em vez dela. Isso não aconteceu e para não dar uma de chata deixei estar. Sexta havia de ficar tudo esclarecido. Mal sabia eu o que estava para vir.
6 de Maio: Estava inconsolável. Agora eram outros sintomas, ou com outra força. Já nem sabia explicar. Quando chegava ao final de um dia parecia que a minha vagina tinha sido esmurrada repetidamente ao longo do dia. E eu a suportar. Sempre! 7 horas sentada! Comecei a senti dor, acidez, ardor, queimação. Era isso que sentia. Que tinha sido queimada vida. Parecia que a vagina tinha ficado desprovida de pele. Decidi ver. Espelho amigo, reflexo inimigo. Nem queria acreditar. Estava novamente com pontos vermelhos (menos mas com pontos) e no intervalo dos grandes lábios, com os pequenos tinha queimaduras (a pele estava vermelha e fina). Por sua vez nos pequenos lábios no interior tinha feridas, tipo sangue pisado e tinha manchas semelhantes a uma queimadura. Era insuportável. Dores, sob dores. Tortura existir! Desde andar, sentar (7 horas todos os dias), sem posição. Nos transportes comecei a vir de pé e já nem batalhava por um lugar sentada. São todos vossos. E apesar da vida me dar coisas boas em todos os momentos era só eu e o meu sofrimento. Esse nunca ia embora. Dor constante, há tantos dias, até durante o sono. Viria ainda um novo sintoma: - Comichão!
7 de Maio: Acordei a meio da noite com comichão. Não cocei para não me ferir mas era de subir as paredes. Fui buscar gelo. Uma hora até voltar a adormecer. Às sete levantei-me e fui trabalhar, sentado claro. Inexplicável desconforto e sofrimento. Todos a sorrir à minha volta, com o seus problemas claro e eu no jogo do faz de conta e por dentro em agonia.
8 de Maio: Em todos os dias anteriores a este pensei em voltar a contactar a médica mas sabia que com ela só dava para estar na sexta portanto porquê insistir? Eu devia tendo em conta a minha situação mas não o fiz. Sexta tudo ficaria resolvido. Pensei em ir ao hospital mas tenho fobia e só pensava que hospital significava logo médico, novos químicos, mais queimadura, mais sofrimento. Queria ver a médica que sempre me havia tratado.

Anónimo disse...

9 de Maio: Consulta logo pela fresca. E um novo sintoma. Inchaço vaginal! Uma hora de espera em pé claro. Sentada já não dava. Quando a Dra. finalmente me mandou entrar percebeu que nem sentada eu ia conseguir estar para a consulta e mandou-me despir. Quando me ajeitava na maca disse-lhe sem qualquer verbalização agressiva que quando a tinha contactado na segunda-feira a título de urgência tinha ficado com calafrios só de pensar na espera até sexta. O que disse veio mudar a minha médica. Ela ficou tão ofendida com o meu comentário que começou a tratar-me na defensiva, dizendo que eu estava a insinuar que ela me tinha abandonado e não tinha olhos que vissem por telefone o meu estado. Eu prontamente esclareci que não a estava a atacar estava só a desabafar e que tinha pressuposto que aquele número era usado apenas para emergências. Que não seria necessário entrar em histeria do outro lado da linha para ela perceber que eu precisava de ajuda. Eu nunca a iria contactar senão estivesse mesmo mal. Para mim isso estava claro para ela não. A partir daí a consulta foi um pesadelo. Desatei num choro. Senti-me humilhada, de perna aberta e ela a mandar vir comigo e a dizer que era melhor a conversa acabar. Surreal. Pensei naquele momento se eu não me devia transformar no monstro que também sei ser e dar razão às acusações dela. Mas não podia. Ela tinha a faca e o queijo na mão, Eu é que precisava dela. Nem usou aparelhos para me ver. Só olhando, sem qualquer exame para apurar afinal o que me tem vindo a fazer a vida num filme de terror disse-me: “É um fungo e uma bactéria”
Caramba, mas na semana passada não era fungo mas sim bactéria. Será que os medicamentos que tinham os tais efeitos secundários tinham feito pior. Naquele momento de transtorno e confronto senti que ela estava só à espera que insinuasse isso para me meter dali para fora. E eu tão frágil a precisar de um profissional compreensivo. E de lábio torcido a desdenhar de mim quando lhe disse que já tinha perdido a minha dignidade. Tratou-me como uma louca. Aquilo que eu tanto tinha tentado evitar com telefonemas recorrentes (mesmo quando estava a sofrer fiz por não importunar) naquele momento, por ter dito aquela frase, tudo se transformou. No meio das lágrimas tive a maturidade de lhe dizer que nos devíamos concentrar na minha doença e não naquela conversa sem nexo. Assim foi mas com péssimo ambiente e com choro meu até ao fim. Nervos e mais nervos, dias e dias de sofrimentos, culminados naquele embaraço.

Lá me receitou um novo kit de salvação:
Antibiótico Floxapen de 8 em 8 horas, Brufen até passar o inchaço. Sertopic para aplicar por fora e o Fluconazol 8 (1 de 3 em 3 dias, 3 vezes e a partir daí 1 semanalmente durante quatro semanas. Ainda para lavar, receitou-me algo que quando viria a comprar seria descartado por mim: - Cyteal. De forma alguma, embora eu tenha sido até á data uma tonhó que faz tudo o que os médicos mandam, eu vou colocar um desinfetante na minha vagina queimada e sem pele.
Agora com novos medicamentos e mais calma, desejou-me as melhoras com o sorriso 31.
Nunca mais me vou esquecer deste lado dela e vou mudar de médico. Sinto que ela se cansou de mim. O que não devia acontecer porque ela estudou para isto e em momento algum eu a ofendi ou pelo menos o quis fazer.

Anónimo disse...

10 de Maio (hoje): Tenho uma vagina inchadíssima. Mal consigo andar. Fisicamente é o sintoma que mais me desabilita. Estou cada vez mais deprimida e perdida. Estou a perder a fé nos médicos. Tenho lido sobre este assunto e já sinto que mesmo que mude vai ser uma sorte até encontrar uma pessoa que não me passe o creminho e o Fluconazol. Vou fazer o tratamento até ao fim. Vou seguir tudo como me disse, à exceção do Cyteal pois não quero aniquilar a minha flora vaginal. De momento não sinto melhoras e para ser sincera estou bem pior que ontem. Tenho dor e pontadas que parecem pequenas mordidelas que dão imensa comichão. Devem ser os fungos e bactérias num festim. Chorar já faz part da minha rotina sobretudo depois de um dia exaustivo a sofrer e a dar o melhor de mim quando na verdade já me perdi neste processo.

Conclusão até á data: é propositada esta apresentação por dias para que se perceba (médicos sobretudo) que quando me sento no nosso consultório (quando consigo) e digo que sofro há dias, cada dia é uma odisseia . Cada dia tem 24 horas de sofrimento que só param quando durmo e mesmo assim nem isso tenho conseguido fazer decentemente já que acordo com comichão. Por isso agradecia não ser tratada como uma louca, pois não o sou e estou a penas desesperada. Não sei como vai ser o amanhã mas neste momento não estou otimista porque a mudança que vejo de ontem para hoje é para pior. Agora estou sozinha porque não tenho vontade alguma de recorrer á minha médica. Vamos ver como corre o tratamento e se tudo voltar a falhar que rumo irei dar a minha vida.
Este é o meu testemunho.


Anónimo disse...

Eu vou esta quarta feira a um imunoalergologista porque tenho candidiase crónica á um ano! E já tomei tudo e mais alguma coisa da parte da Ginecologia e não resolveu nada! E basicamente o Ginecologista já não sabe o que me deve fazer! Seja o que Deus quiser! A minha candidiase ás vezes parece que fica adormecida mas assim que tenho relações sexuais ela volta! Aprendi uma coisa, candidiase não se trata no Ginecologista! E eles são muito ignorantes em relação a este assunto. Nem me souberam reecaminhar para outra especialidade tive de ser eu a investigar sobre possíveis soluções.
Tou a fazer figas!

Fernanda disse...

Venho sofrendo dessa sacaninha há um tempão, há um ano eu usei Fluconazol e ela acabou sumindo dois dias depois. Felicidade, glória, extase!! Consegui ter uma vida normal sem ter a agonia estampada no rosto todos os dias! Seis meses depois ela voltou, insuportável, eu havia me esquecido de como ela era irritante! Tomei novamente o remedio, só que dessa vez não houve efeito, marquei um consulta para ver se a medica me receitava um remedio mais forte, quando recebi a noticia de que estava gravida! Os tres primeiros meses foram muito conturbados, com problemas com o pai do meu filho e a gestação, resultado: a sacaninha parecia que estava dando uma festa!!! Stress, gestação e sem poder tomar remedios foi uma farra pra ela. Achei que ia ficar louca. Depois do terceiro mês a médica me receitou a pomada Nistatina, não resolveu o corrimento, mas a coceira e o incomodo aliviaram bastante, e a minha situação de vida estava melhor...Acabei voltando com o pai do meu filho só q a danada piorava toda vez que tínhamos relação. Tive o auge quando tive que tomar antibioticos por causa de problemas no pulmão. Agora que terminei os antibioticos, resolvi nao mais tomar remedios pra nao prejudicar meu bebe, como aliviar a coceira? E o corrimento? Pesquisei e vi que lavar com agua morna e bicarbonato ajudava. Ajuda! Alivia muito, porem no meu caso ajudou na coceira o corrimento continuou mais intenso até. Mudei ate minha alimentação reduzindo td o que essa danadinha gosta, carboidratos, doces e etc. Nada. Há dois dias descobri o Iogurte Natural,um pouco numa seringa(sem agulha), há dois dias nao vejo sinal dela. Diz-se que é pra fazer duas vezes ao dia por tres dias, hj é o ultimo dia. Sei que a minha é cronica pois tenho desde os nove anos de idade, convivo com a danada há 16 anos. No ano passado que eu tomei o Fluconazol e esses dois ultimos dias foram os melhores que tive nesses anos! Pra quem sofre que nem eu sofro, não vamos desistir e deixar ela vencer! Pra quem ta cansada de remédios procure fazer esse do Iogurte, não tem contra indicação, é barato e de tratamento e resultado rapidos! boa sorte a todas!

Anónimo disse...

Oi, te acompanho desde 2012 e por incrível que pareça, já tentei praticamente tudo que esta no blog. Alguns meses atrás li uma matéria para cura natural da candidíase e mais uma vez fui testar(já estava com depressão).
DEU CERTO!! Juro, no primeiro momento não acreditei, uau me curei! Vim aqui postar meu descobrimento... Óleo de coco, essas capsulas que são vendidas em farmácia para emagrecer... impressionante, estava no auge da crise tomei 2 capsulas de manha, 2 de tarde, 2 de noite. Demorou quase 3 dias para fazer efeito e ACABOU!! Hoje quando sinto que vai chegar tomo 2 capsulas e nem sinal dela, faz quase 4 meses e NADA! NEM ACREDITO, TO MUITO FELIZ! Espero ajudar, Boa sorte, Patrícia.

Anónimo disse...

Olá Blimunda

Durante quanto tempo fez a toma semanal de Fluconazol? Não acha que também poderá ter ajudado a aniquilar a candida?

Obg pelas dicas!!

Anónimo disse...

Ola... te acompanho por mto tempo tb.. e gostaria de saber o q usou p aumentar a imunidade?? Quais remedios ou suplementos... abraço

Anónimo disse...

Eu já sofro há uns 6 anos de candidiase, já coloquei todos os óvulos, pomadas possíveis e imaginárias, iogurtes, vinagre, sabonete de glicerina, rosalgin e nada, porém o que me conseguia acalmar durante um tempo era o fluconazol, infelizmente de há uns meses para cá, o fluconazol começou a provocar em mim um efeito secundário: eritema fixo. Assim que tomo o fluconazol passado 12 horas surge-me um eritema no pé ou seja não posso mais tomar o que me equilibrava minimamente. Já não sei o que fazer, porque isto é uma pescadinha de rabo na boca, porque se estiver doente não posso tomar antibiótico Pq fico com candidiase, se tomar não posso tomar fluconazol Pq me aparece o eritema. Quando é que vai existir uma cura para isto? :(

Anónimo disse...

nunca vi nada parecido já tive alergias parecido com dermatite mas essa coisa primeiro vc sente ardendo de repente vai olhar no espelho e seu lábio parece que ta fervendo e coçando e fica um rastro da levedura não sei como esse troço consegue se reproduzir tão rápido parece um et - alguns vem e vão mais rápido outros nem tanto é uma desgraça

Anónimo disse...

Bom dia, eu também já fiz este tratamento das vacinas durante dois anos e picos, e tenho cândida deste de bebê, depois do tratamento fiquei sem ela um ano e na gravidez da minha filha mais nova voltou tudo novamente. Ela já tem oito anos e desde desta altura sofro com isso permanente.Eu só conheci uma médica q sabia destas vacinação e era do Brasil, pq aqui em Portugal já fui a vários e todos dizem desconhecer tal tratamento.😥😥😥😥