segunda-feira, junho 27, 2005

Abstinência

Diz-se que longos períodos de abstinência sexual deixam as mulheres demasiado nervosas; descompensadas; facilmente irritáveis, com variações imprevisíveis de humor. Admito hoje que me sinto precisamente assim, nervosa, descompensada, irritada, mal-humorada… Começou no minuto seguinte a deixar o carro na oficina, para revisão. Estou com uma crise séria de abstinência automóvel.

5 comentários:

Tá claro sou eu disse...

Olá!
parabéns pelo início cibernético... que é como quem diz...Era só o que me faltava.
Quanto às abstinências, concordo com tudo.
Mas, e há sempre um, a receita (não médica, obviamente) é aproveitar muito bem, em quantidade e qualidade, os períodos de abundância. Mesmo que se fique um bocadinho carentes, não se corre o risco de azedar.
Já basta as abstinências alheias que temos que suportar todos os dias (incluindo a falta de quantidade e de qualidade)....

Joaquim Varela disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Joaquim Varela disse...

Ena, ena! Isto é assim a moldes que um "filho adoptivo" a nascer (imagem bem parva vindo de quem até já é progenitor, mas que fica bem nesta ocasião).

Espero que consigas utilizar isto como algo de bom pra ti, da forma que muito bem entenderes! Eu pelo menos, sempre utilizei o meu nesse sentido. Muitas vezes como um escape. Outras para dizer por palavras aquilo que de todo não consigo verbalizar - e que só eu sei o que isto me tem custado na vida. A grande maioria delas, foi só mesmo na base do disparate puro.

Agora vamos ao que interessa verdadeiramente. Em 1º lugar considerar o nosso muy humilde e aparvetado "mural de expiação da alma" como uma "Musa inspiradora", faz-me duvidar da sanidade mental de quem assim o apelida. De musas pouco temos, somos todos feios comócaraças (quer dizer, as míudas até são giras, agora a secção masculina, valha-me nossa senhora, é com cada camafeu...) e como inspiração tendemos para o 0 grau Kelvin de uma possível escala que medisse esta qualidade.

Portanto ou é isso ou então é a chamada ingestão de demasiado alcool ou outras substâncias proíbidas.

Em 2º lugar, o carro como objecto fálico, que eu saiba, trata-se de uma caracteristica associada quase sempre ao macho (especialmente ao macho que gosta de mostrar quem é que manda na capoeira e quem é que tem a crista maior). Quem é que a menina pretende enganar?

PS: Qualquer coisa que necessites para abrilhantar este espaço, já sabes que podes chatear, as vezes que muito bem entenderes, este grande bronco.

blimunda sete luas disse...

As musas são as que são, porém tenho às vezes dúvidas se sou eu que me inspiro nelas ou se os autores das ditas personagens têm alguma maneira obscura de observar a minha vida e transpô-la para o pequeno écran ou para os livros.

Os links são os links, não são as musas. Por isso é que estão separados... não? Ó Varela, se tu que ajudaste a fazer esta coisa nã percebeste, começo a ficar seriamente preocupada com as outras 3 pessoas que vão eventualmente visitar isto. Cum catano...

Joaquim Varela disse...

Olha pois é... E não hei-de eu insistir na cena do "Grande Bronco"... Quis inaugurar a caixa de comentários com umas frases supostamente enquadradas com o blog e com uma pontinha de humor, tudo regado com a típica da auto-humilhação e meti logo os pés pelas mãos...

Peço desculpa então. E já agora, não te devias identificar assim tanto com as musas. A vida delas é ficção e a tua é real. Todas elas se baseiam, calculo eu, em casos conhecidos dos autores (tirando a maior musa) , mas são alimentadas para permanecerem nesse estado vegetativo, a fim de continuarem a fazer render o peixe (leia-se os direitos de autor). Penso eu de que...