quarta-feira, abril 02, 2008

Mais links

É verdade, como me dizem ultimamente, que isto dos blogues nos leva por vezes a que estejamos demasiado expostos, sujeitos a amores e ódios, gratuitos todos, e por isso mesmo vazios de sentido.

No entanto, acho que também na comunidade blogueira se passa o fenómeno de nos aproximarmos tendencialmente daqueles com quem mais nos identificamos. Como acontece em qualquer situação em que se juntem grupos de pessoas, há aqueles que já conhecíamos, há os que gostamos desde o primeiro dia, há os outros que vão aparecendo e dos quais aprendemos a gostar.

Nos limites do irreal que é a blogosfera, e não confundindo afinidades com amizades (embora a alguns dos links correspondam de facto amigos e amores da vida real), mantenho a convicção de que por algum motivo são estes os que cá estão, e não outros.

E é assim que todo um conjunto de gente interessante (do meu ponto de vista, é claro), blogueira ou não, se vai agrupando aqui nesta coluna à direita. Sempre que actualizo isto penso sempre como seria interessante um dia juntar esta gente toda numa almoçarada qualquer.

Mas depois acordo, sei perfeitamente que não sou o Júlio Machado Vaz.

6 comentários:

mamã Xana disse...

Fui espreitar e gostei! :)

Reginalda disse...

Pois tb fui espreitar, e também gostei. Aliás, gosto deste tipo há muito tempo, ele é que não sabe disso, o que é uma pena.....

patologista disse...

São um pouco estranhas estas relações blogueiras. À distância tudo parece mais perfeito. Eu confesso um certo receio de passar a um conhecimento maior que muitas vezes resulta em alguma desilusão. Muitos de nós seremos bem mais interessantes no blog que na realidade.
Mas no entanto a ideia de um almoço parece-me óptima. Nem que seja por lá pelo meio podermos vislumbrar a possibilidade de uma amizade. E isso já seria muito bom.
Beijo.

blimunda sete luas disse...

Sim, sim, patologista, partilho exactamente dessas dúvidas e concordo com tudo o que disseste. São as tais afinidades, no fundo.

Ainda assim, gosto muito da minha selecção de afinidades! ;-)

Patti disse...

Olá,

Eu parece-me que quando não conhecemos a pessoa que está do outro lado e nos identificamos com o que ela escreve, tem uma certa piada, porque nos pomos a imaginar como ela é, que idade tem, se fala como escreve, etc, e isso faz-nos interessar cada vez mais.
O desconhecido move-nos.

Se a passamos a conhecer, não acho que se perde o interesse, apenas se torna diferente, mas continua a ser igualmente estimulante porque passamos a ter outra perspectiva.

redjan disse...

E .. onde se almoça então ????