sábado, março 29, 2008

A donzela, o bandido e os heróis

Mais ou menos, quer dizer. Os heróis também não foram assim uma coisa completamente espectacular, até porque o bandido, coitado, era mais uma pessoa perturbada mentalmente que outra coisa, e quanto à donzela, enfim, aos anos que isso já lá vai, quem é que pensas que ainda enganas. Mas que ficou um título giro, lá isso...

Falando a sério só por um bocadinho, apanhei um susto dos grandes. Um tipo que começa por rondar o prédio e o parqueamento, apanha a porta do prédio aberta e entra, e a seguir se dirige a passos largos para tentar entrar-me em casa! Tive que dar dois passos atrás a toda a velocidade e fechar a porta à bruta, parecia filme de terror.

Nisto, chamei a polícia. Já na companhia de alguns vizinhos solidários, lá fomos controlando o louco nas suas deambulações pela vizinhança, e esperando pela salvação que tardou a chegar. Fosse o louco algo mais agressivo e mal intencionado, tempo não lhe teria faltado para o que lhe desse na vontade. Não era o caso. E já alguém até lhe reconhecia as origens, onde morava, enfim, não era de fiar, mas também não seria ele o causador de todos os males do nosso bairro.

Já o bandido andava perdido uns tantos quarteirões mais abaixo, chegou a carrinha com os heróis. Oito. Sim senhor, pensei eu, o gajo está mesmo tramado. O exagero do contingente policial era evidente e fazia sorrir os presentes, mas as mulheres riam-se mais que os homens, porque já que não nos tínhamos livrado do susto, ao menos aquilo foi uma coisa digna de se ver, ele eram polícias e mais polícias a saírem de dentro da carrinha, cada um mais, digamos, bem preparado para enfrentar qualquer ilegalidade, que o anterior.

O resto foi a chatice do costume, o que é que se passou, foi isto assim assim, muito bem, vamos abordar a pessoa, e tal, ao fim dum bocado apareceram-me em casa outra vez (já só eram dois), bilhete de identidade, papelinho, muito obrigada, ora essa, é para isso que cá estamos.

Mas sinceramente. Com um grupo tão bem preparado de agentes policiais, foi até uma pena que o delito fosse tão insignificante. Na minha imaginação, consigo ainda neste momento "visionamentalizar" os oito heróis a sairem da carrinha, e conceber perfeitamente outras formas de apoio que poderia ter sido prestado à minha frágil e delicada pessoa. Só que se calhar, nessa altura o título do post não podia ser este. Tinha que ser qualquer coisa como... Algo que eu nem sequer consigo imaginar, claro, ou pensam que eu sou o quê, alguma ordinária, queres ver?...

4 comentários:

Monstro das Bolachas disse...

Ou seja, se o bandidozeco aparecer outra vez n ha problema, ja sabes k é cliente habitual. :-)

redjan disse...

Se o bandido aparecer de novo ? Desta leva com 16 heróis, faz a donzela um scanner da queixa anterior, copy and paste da resposta à lenga lenga do ' conte lá então como é que foi ' e .... dá um voucher ao perseguidor, com direito a refeição na 3ª visita !
Se a ' donzie ' estacionar mal o carro e se esquecer de pagar a multa, em 3 tempos vê o que é bom para os infractores !

Bli ... tx 4 passing downthere .. ;-)

Rui Pedro Lima disse...

tive algo de género recentemente e não á nada agradável. falando a sério um bocadinho.

Anónimo disse...

Deve ser muito desagradável a situação toda! Eu tenho muito medo de assaltantes, já tinha antes de ser assaltada, depois, então...