domingo, setembro 21, 2008

Males que vêm por bem

Até aos 30 anos de idade fui uma absoluta nulidade em termos de actividade física. As aulas de Educação Física foram o pesadelo de toda a minha vida escolar, e cresci com a firme convicção de que não gostava de praticar qualquer desporto.

Até ao dia em que ganhei de presente uma hérnia discal. Dores de pescoço frequentes (vulgo torcicolos), mãos dormentes, dois ou três exames que tornaram a coisa oficial, um neurocirurgião a dizer que a solução era operar e que depois da operação podia ficar tudo na mesma ou pior. Estas coisas todas puseram-me a pensar que um pouco de exercício era capaz de me fazer bem à hérnia e ao resto. Foi assim que, aos 30 anos, fui nadar.

Com grande pena minha, este período negro da minha vida ditou o abandono da natação. Mesmo depois de tudo ultrapassado, alguma espécie de receio irracional de que tudo volte ao mesmo impede-me, ainda hoje, de lá voltar (mesmo sem ter garantias nenhumas de que a causa do problema tenha sido a piscina). Em contrapartida, descobri o step e a ginástica localizada, e é por lá que tenho andado nos últimos anos.

Nunca mais deixei de fazer exercício. Tornou-se numa coisa que necessito de praticar com regularidade para manter o meu bem-estar, inclusivamente o mental (a coisa mais aproximada de "não pensar em nada" que eu consigo atingir são aqueles 45 minutos de concentração absoluta em "três joelhos, sobe-e-desce, salta, corre, rápido, deita bem o ar fora, três joelhos"). E dou comigo a espantar-me com as coisas que o meu corpo se dispõe a fazer, com as suas capacidades.

Sinto-me a maior da minha rua, hoje que fiz quase 27 kms de bicicleta com toda a satisfação e boa disposição, coisa que, estou firmemente convencida, há seis anos atrás não seria possível.

Afinal, eu sempre gostei de fazer exercício. Demorei foi 30 anos a descobrir qual o exercício físico que me dá prazer fazer. E deste ponto de vista, esta hérnia discal que me acompanha foi das melhores coisas que me podiam ter acontecido.

Isso e umas calças com enchumaços no rabo, que se vendem nas lojas de desporto.

6 comentários:

Vitor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Aniceto disse...

Publicidade enganosa, hum? ;)

blimunda sete luas disse...

Isso mesmo! ;-)

Maria disse...

Essas calças não conheço.. Quanto ao exercicio, também eu preciso mesmo dele..:) É quase que um "vicio" saudável.

bjnho.

Arroto Azul disse...

Olá! Comecei a ler o teu post e nele me revi de imediato... é que há 3/4 meses atrás, nos dias seguintes a uma das minhas corridas habituais senti uma dores na zona lombar e algumas picadas debaixo das costelas! Como não havia meio de passar lá fui eu ao médico... principalmente por causa das picadas que era o que mais me incomodava! Fiz vários exames ao sangue e urina para despistar alguns eventuais problemas, como não acusaram nada toca de fazer ecografia e mais tarde raio-x. Neste último descobri então que tinha uma discartrose na L5/S1! E um pequeno prolapso, o chamado bico de papagaio! Lá fui fazer o TAC, e confirmou-se a hérnia discal. Enfim agora estou à espera de uma consulta no ortopedista para ter uma noção de que tipo de desporto devo e não devo fazer! Espero que não sejam muitas as limitações... mas a ver pelo teu exemplo a coisa pode não ser assim tão má visto que o desporto passou a fazer parte da tua vida.

Parece que nos dias de hoje começa a ser comum, entre os mais novos, este tipo de doenças!

Enfim... já que não nos sai o Euromilhões, ganhamos estes presentes (como tu dizes).

(Desculpa o comentário tão longo ;)

dOn@TeLo disse...

Enfim Publicidade enganosa, precisavas de exercitar e muitas formas de exercitar existem por aí acho que escolheste uma perfeita para o aquecimento.