sábado, dezembro 08, 2007

Tertúlia de Mentirosos

"A mulher à beira do rio

(...)

Dois jovens monges zen fizeram juntos o juramento de nunca tocar numa mulher. Tratava-se de uma decisão ardente e total a que durante muito tempo ambos se mostraram fiéis.

Um dia, quando viajavam, preparavam-se para atravessar o leito de um rio em cheia quando viram aparecer uma jovem mulher de rara beleza que lhes pediu ajuda para transpor as águas impetuosas. Tinha grande necessidade de atravessar aquele rio, explicou, para ir socorrer o seu pai doente. Sozinha e frágil, não podia arriscar.

O primeiro monge, sem sequer escutar as palavras da mulher, avançou para o rio e atravessou-o. O segundo monge tomou a mulher nos braços e, mais lentamente, mais dificilmente, com a ajuda de uma corda, levou-a para a outra margem.

A jovem agradeceu e afastou-se rapidamente. Os dois monges retomaram o seu caminho. Durante mais de uma hora mantiveram-se em silêncio. A certa altura o primeiro monge, que já não podia continuar calado, irrompeu em cólera, em censuras e disse ao seu companheiro:

- Como pudeste quebrar o teu juramento? A tua jura sagrada? O juramento que pronunciámos juntos? Não sentes vergonha? Como pudeste tomar aquela mulher nos teus braços?

- Olha - diz o outro -, (...) ainda a trazes tu?"

in Tertúlia de Mentirosos
de Jean-Claude Carrière
Editorial Teorema

3 comentários:

redjan disse...

Voilà..... !!!

sobrinha disse...

temos de fazer uma troca...
esse livro começa a interessar...

Libelinha disse...

Minha cara Blimunda cada vez mais o seu blog interessa me,gosto particularmente deste, que me parece um aviso à navegação, estarei enganado??? de qualquer maneira, toda a envolvência do blog é agradável...atenção Blimunda!!! tertúlias é o que não faltam e futuros encontros/ desafios pdem trazer mentiras e embaraços, isto é uma constatação da vida....
muito estimadamente