segunda-feira, março 24, 2008

1988

No ano bissexto de há vinte anos atrás, foi dos anos mais felizes da minha vida. Paixões platónicas? Borbulhas na cara? Amores eternos por cantores pop que afinal eram (e são!) homossexuais? Claro que sim. Mas também a descoberta de uma biblioteca com "O Memorial do Convento", de José Saramago, com poemas de Casimiro de Brito, e aulas onde haviam professores de filosofia, que falavam de coisas deslumbrantes para uma cabecinha muito oca, e por isso mesmo, muito disponível para absorver tudo o que lhe quizessem ensinar. Esqueci muitos dos meus professores de Ensino Secundário, e Superior. Mas nesse ano, houve professores que eu jamais irei esquecer.

Então não é que de repente, um destes professores aparece-me pelo google, regressado das minhas memórias de há 20 anos atrás, e fica-se-me ali, ao simples alcance de um e-mail? Cliquei no enviar sem grandes hesitações, porque o meu entusiasmo nem deu margens à timidez. E o hoje em dia catedrático professor doutor respondeu-me prontamente, mas é o mesmo, o mesmo que dava aulas ao Ensino Secundário e se sentava no bar da escola a comer bifanas! E que me dizia assim, "tiveste 17". E eu respondia, "não estava nada à espera", e dizia ele, "pois, nem eu!". Então não deixa de ser irónico, numa semana em que tanto se fala, e eu própria já falei, da miséria em que andam as nossas escolas, que um desses bons professores que felizmente também existem, surja de novo no meu caminho.

Já não sei onde li em tempos que o professor só aparece quando o aluno está preparado para aprender.

A minha descoberta resultou de pesquisas por mais estudos, que se eu pudesse era estudante sempre. Este meu professor diz que tem coisas novas para me ensinar, e que conta comigo. Eu, em estando preparada, vou.

Mas para já, para já, estou apenas a saborear este presente (mais um) que a vida me deu! :-) :-)

Nota: Coincidências? Bah!... Isso é para meninos!...

6 comentários:

Monstro Das Bolachas disse...

Mesmo assim o melhor ano de todos foi o de 1989!

redjan disse...

bli: para lá de bom... de ler , o texto, de entender as palavras, de me rever em ano longinquo de professores. Tive um, nos idos de 76, que leccionava Matemática. E a uma turma de meninos rebeldes em idade de bola e namoro, agarrou e injectou um prazer, paixão mesmo, pelas coisas dos números e fórmulas. Nunca irei esquecer, os meus primeiros ' 18's ', os primeiros de muito menino por ali. Há dias, o meu filho entrou com a 1ª nota fraca em casa. Triste e desiludido confessou-se perdido e atrasado na matéria... Matemática. Fui lá bem atrás no tempo, sentei-me e refiz a fórmula daquele meu velho e querido professor. Reganhou '4 o Miguel. reganhei eu paixão por mexer com equações.... E tudo começou ... num professor que aparceu e nos ensinou .. a estarmos preparados para ele !!

Adorei este post..

blimunda sete luas disse...

Redjan, e esse teu Miguel (pelo que me pareceu à distância), faço ideia o desgosto perante notas baixas.

Pobres dos adolescentes com padrões elevados de exigência sobre si próprios!... Começam cedo a levar a vida a sério! E a sofrerem com ela...

barbiedoll disse...

1988, 28 de Dezembro, acabara eu de nascer. Não andava, portanto, nas mesmas andanças que tu, mas passei por elas anos mais tarde, e ainda passo...
Também tive professores memoráveis, que recordo com muita saudade. Por muito que se fale disso nestes últimos tempos, nem todos os professores são maus, nem todos os alunos são mal educados. Continuo a achar que ser professor é das profissões mais nobres que pode haver.

Carlos Cesar disse...

Desculpe-me por desviar totalmente do assunto..Mas andei pesquisando no google e achei um baita depoimento seu sobre a candidíase. Sou homem,tenho 23 anos anos,faz 2 anos e pouco que sofro com isso (nunca fui atrás de médico nem nada),mas agora que eu realmente cansei e comecei a ir faz 1 mês...

Como vc tá em relação a isso? Curada?

Queria algumas dicas para me curar disso,tendo em vista que a candidiase masculina não é tão comum quanto à feminina! :(

blimunda sete luas disse...

Carlos Cesar,

Se começou a ir ao médico, acho que está a ir pelo caminho certo. Realmente a candidíase não é tão comum no homem, mas igualmente angustiante.

Não use cuecas apertadas e use só cueca de algodão. Tente "arejar" o mais que puder, porque o fungo só se dá bem em ambientes quentes e húmidos. Reduza tudo o que seja ácido na sua alimentação: laranja, ananás, café (que em si mesmo não é ácido mas o processo de digestão faz segregar substâncias que aumentam a acidez do organismo), vinho ou qualquer bebida fermentada. Reduza também os lacticínios e os doces.

E acima de tudo, tenha paciência e calma, essa doença alimenta-se de açúcar e de ansiedade. As melhoras!