quinta-feira, março 20, 2008

Assustador



A vários níveis, diria. Primeiro, pela degradação a que chegam aquelas duas pessoas. Depois, pelos risos e ambiente de festa generalizada que se vive perante uma violência daquelas, contrariado apenas por, talvez, dois alunos que lá vão sentindo vagamente que aquilo não está certo e que alguma coisa tem que ser feita.

Depois ainda, pela(s) inconsciência(s) da gravidade da situação, que se vêem em expressões como "espectáculo!" e "a velha vai cair". Como se fosse tudo uma grande paródia.

Entretanto, oiço na SIC uma pedopsiquiatra a dizer que hoje em dia, para os jovens, o telemóvel é como que uma "extensão do próprio corpo", mais ou menos a justificar a reacção da aluna. Pode ser que tenha razão. Mas esta mania que Freud tem de explicar tudo às vezes irrita-me um bocadinho. Por vezes parece-me que se está a nivelar por baixo, a exigir pouco ou quase nada, e ainda assim, cada vez menos. Que quantidade brutal de erros ao nível da educação, dos afectos, é que levam um jovem àquele ponto? E mais assustador do que descobrir isso, será talvez descobrir que não há assim tantos erros, e que ainda assim foi ali que ela chegou...

Em jeito de escape, deixei-me invadir por um pensamento feito do mais puro egoísmo: aquela miudagem é a que vai andar a trabalhar para me pagar a reforma. Perante isto, é inevitável pensar cada vez mais seriamente em fazer um PPR. Seriously...

9 comentários:

Monstro Das Bolachas disse...

Por acaso esta situaçao fez-me voltar um pouco atras no tempo ate aos meus tempos de basico, alias axo k isto se paxou numa turma de 8º ou 9º ano, embora ixo n interexe para nada pk seja em k ano for a kestao é grave, mas é sempre a volta destas pekenas e stupidas idades k sao os 15/16 anos.

Axo k foi nos meus 15, ainda no 9º, kuando axisti a um espectaculo tb glamuroso. O facto é k a profexora de historia n era das melhores nem das mais simpaticas, sim pk ha profexores bons, profexores simpaticos, profexores bons e simpaticos e profexores k n sao nem uma coisa nem outra, era o caso. O faco é k nao nos podiamos atrasar 5 minutos seker, mesmo k estivexemos mal dispostos. Foi o k aconteceu. A minha colega, ainda sem saber k estava com uma gastointrite da boa em cima, atrasou-se 10 minutos a aula, pk teve na casa de banho a gregar-se toda. Enfim...xega a aula mais branca ca parede, sim pk nunca vi akelas paredes totalmente brancas. A professora n lhe tira a falta ficando axim a adolescente mal disposta mais mal disposta ainda e com uma falta injustificada k ate tinha justificaxao. Ela axiste a aula sempre calada e mal disposta, ficou sempre mais branca k a parede.
No final da aula levanta-se, a prof ja de pe e prega-lhe um valente xapadao k ate eu o senti de tal maneira k n foi o estrondo. Ao fim de gritos e ameaxas fomos todos pa casa descanxar pois ate era a ultima aula. No dia seguinte a profexora de historia para alem de uma marca na cara, ficou sem o seu pinxavelho do seu lindo mercedes. Kem tera sido o mal feitor k tera arrancado akilo heim? Por acaso eu ate sei kem foi e acreditem k n foi a mal disposta, a verdade é k em alguns sitios os alunos se tornam mto unidos, o k ate nem me parece caso desta turma, e no fim se ha problemas parte destes nem seker sao da responsabilidade dos envolvidos.

O k aconteceu a minha turma foi absurdo para ambos os lados, o da prof k poderia ter reagido de outra forma visto a situaxao da aluna, podia ter reparado na maneira como ela estava e ter feito alguma coisa para a ajudar no fundo so desajudou. a aluna devido a sua reacçao apos a aula, a sua atitude.

Neste caso é claro k a aluna esta a ter uma atitude absurda, no entanto, e atenxao k n estou a justificar a aluna (longe dixo pk n ha justificaçao poxivel) a professora podia ter feito algo mto simples e k acabava com a situaxao de uma vez em vez de se tar a axistir a palhaxada a k se axistiu. K era dar-lhe o seu bem mais precioso, o telemovel, sair da sala de aula, falar com o responsavel da escola, com os pais, e a partir dai seriam exigidos os castigos na escola, n recorreria á expulsao pk ai é k n aprendia nada, mas a um bom castigo acompanhado de bons profs a mistura durante bons intervalos k duraria o bom resto do ano inteiro e ainda a poxibilidade do castigo em casa k seria fikar sem o dito precioso tele. Sim pk n me venham dizer k kem comprou o telemovel foi a miuda e ai os pais teem mta responsabilidade tb (indirectamente) para k tudo isto aconteça. A maior parte dos jovens n precisa de lutar por nada, e talvez venha dai a falte de respeito, consideraçao e valor por tudo e todos os k os rodeiam.

Joaquim Varela disse...

Com que então só 2 erros?

Coitada da Língua Portuguesa que tão mal tratada é nos dias que correm.

Caro "monstro das bolachas", acredita que não consegui ler nada, tal a dificuldade em traduzir e acima de tudo a perplexidade para tentar compreender porque carga de água se escreve coisas como:

-Quem escreve xega, consegue escrever chega;

-Quem escreve fikar, demora exactamente o mesmo tempo a escrever ficar;

-etc, etc.

Nos telemóveis, por questões financeiras ainda admito que se possa utilizar este tipo de encriptação. Agora aqui? PELAMORDEDEUS!!!!

Arranjem-me um dicionário de SMSês-Português o quão antes, senão a minha cabeça explode, de cada vez deparo com uma salganhada destas.

Monstro Das Bolachas disse...

vai-te habituando a isto, é a escrita do futuro, ker mto keiras ou n. ;-P

Anónimo disse...

Pois pequeno "monstro", não sei se o és das bolachas, mas da língua portuguesa és, com certeza.

E esta ser a escrita do futuro é uma real possibilidade tendo em conta que o valor do facilitismo, falta de rigor e de brio profissional grassam por aí.

Não sei bem se pertences à geração "Heidi", se à geração "Pokemon" (embora esta última me pareça mais provável), mas na malta ainda não trintona (onde me incluo) ainda há quem leia livros e escreva palavras completas... pode ser que isso atrase o dito "futuro"...

Agora e referindo-me ao conteúdo mais do que à forma: não sei como tens dúvidas acerca do comportamento da colega com problemas GI. Como seria se hoje, no trabalho ou em família, perante uma injustiça, desatássemos todos à estalada?? A escola também serve para aprenderes a viver em sociedade...

monstro das bolachas disse...

Caro anonimo, 1º de pekeno n tenho nada, 2º por acaso sou mais da geraçao dartacao, se a sua é a heidi mtos parabens, ker globo de ouro? Ainda n é trintao, k pena, fica la mto bem, eu anseio pelos meus 18 anos +1. Sim pretendo ter os meus 18 durante mto tempo e manter o mesmo espirito com k tenho tido ao esperar me incluir nexa dita malta. Gosto mto de livros e escrevo palavras completas sempre k me apetece (n é o caso agora e ainda bem).
"atrase o dito futuro"? ah, ta giro! k bela maneira de ver a vida n haja duvida, pois bem kerido anonimo prefiro escrever "k's" e "mto's" mtas vezes (k giro ainda agora o fiz) do k ter exe espirito.

Acerca do meu comentario (a unica parte interexante em tudo o k dixe, infelizmente), Axo k a escola tanto serve para alunos como profs. Deixei bem claro k a minha colega n teve a melhor reaxao axim como a prof. Se axa k sabe tudo está errado anonimo, todos aprendemos um bocadinho mais a cada dia k paxa e nexe dia aprendemos todos...incluindo a prof, essa talvez mais k todos.

Raquel disse...

Que discussão mais estranha para se ter neste tema. Mas a verdade é que concordo com o anónimo e tenho a mesma idade que o Monstro das Bolachas. Talvez "atrasar o futuro" não seja a expressão ideal, mas escrever da maneira que tu escreves degrada uma das poucas coisas que dá carácter ao nosso país.
É denegrir e subestimar a tão amada língua materna! Que seria de nós se o grande Luís de Camões tivesse resolvido encriptar dessa forma Os Lusíadas? Não seriam nem tão gloriosos nem tão glorificadores quanto são por serem escritos em "língua de gente".
Sim, porque acho que a tua 'língua', caro Monstro das Bolachas, apesar de legível através de um relativo esforço, não é "língua de gente". E uma maneira de cresceres e mostrares os 18 anos que pelos vistos tens, seria aprenderes a ser maduro, começando pela escrita.

Monstro Das Bolachas disse...

Raquel, axo k a maneira como escrevo ou deixo de escrever n mostra a minha maneira de ser adulto pa com a vida ou do k vem dela, e para ja saliento k kuando tenho e preciso n escrevo axim. talvez ixo sim mostre o meu lado adulto com a vida k é perceber kuando devo ou n faze-lo. Eu n digo k toda a gente tem de o fazer, n digo k é mto giro, n digo k é mto digno, n digo nada, apenas digo k é maneira k tenho de o fazr aki e k kualker pexoa o pode fazer se bem entender. E mais uma coisa, kerem estimar a lingua materna tudo bem, mas agora n me tragam o camoes pa este lado, deixem-no tar la sossegadito k ele n nos fez mal nenhum e n tem nada a ver po caso, ta bem k ele foi bastante importante para o desenvolvimento, correcto, da noxa lingua, mas deixem o homem em paz, n divaguem por ai.
Ah e considero-me gente na boa e n é pela escrita k faxo.

Anónimo disse...

Que palerma!

Monstro das Bolachas disse...

E assim se assume o bom portugues.