sábado, março 08, 2008

Duas mulheres encontram-se na esplanada para beber cerveja e falar de futebol

- Olá, como estás? Não vens nada com boa cara. Aconteceu alguma coisa?

- Nem te conto. Acabei de dar de caras com o Rabiola do meu ex-marido!

- Então, não levantes mau testemunho, ele até pode ter muitos defeitos mas nunca teve fama de gostar de homens...

- Acredita que eu sei muito bem. Ainda nem há um mês me deixou, vê lá tu que ainda agora dei de caras com ele no meio da rua, agarrado àquela Makukula da inglesa, a loira de farmácia com pernas até ao pescoço, que trabalha na sapataria, estás a ver quem é?... Uma vergonha, é só o que te digo.

- Bem, amiga, faço ideia o teu estado. Deves ter ficado completamente Sektioui com essa novidade!

- Quem, eu? Nem penses nisso. Quem anda a fazer figuras tristes é ele. Oh, é claro que fiquei capaz de pregar um valente par de Stepanov a cada um, mas é nas situações mais difíceis que uma mulher deve saber manter o nível, e aquilo é gente que não interessa a ninguém.

- Pois, realmente. Mas e ele, não te viu?

- Viu, pois! Sentiu-se tão mal com a figura que ia a fazer que até veio atrás de mim com explicações da treta. Ainda teve a lata de me dizer que a inglesa agora "Izmailov, Adelaide, tenta compreender!". Palhaço!... Mandei-o à Mrdakovic, que é o que ele merece ouvir, e vim-me embora.

- Os homens são uns ingratos. Pensar nos anos que lhe dedicaste, a aturar-lhe as bebedeiras. Sim, que alturas houve em que ele vivia agarrado ao Tonel, não interessava que fosse branco ou tinto, e tu ali, sempre presente...

- Oh, tu sabes lá o que eu passei. Mas não me arrependo, sabes, fiz tudo por amor. No princípio, aquele homem era um ídolo para mim, um Zoro! Mas a coisas mudam, amiga. Quem ma prega uma vez não ma prega segunda. Por mim, pode-lhe cair um Kazmierczak em cima que o deixe paralítico para o resto da vida! Sempre queria ver nessa altura onde ia parar o "Izmailov" pela Makukula!... Não quero saber, já N'Doye.

- Ai, olha, estou a ver que esse encontro te deixou muito perturbada. Tens que ultrapassar, pôr esse Fajardo para trás das costas! Vamos mas é mudar de assunto, que tal comermos qualquer coisa? Já são horas de almoço.

- Sim, é o melhor. Ainda por cima aqui servem um Fucile Carbonara que é mesmo o que me está a apetecer. Com uma Sepsi, que é para ver se refresco as ideias! E eu nem te perguntei a ti como estás, cheguei aqui a despejar as minhas mágoas, grande amiga que eu sou, realmente...

- Oh, eu estou bem. Tirando esta maldita constipação, que já ando Romagnoli há mais de quinze dias. Até já perdi a conta aos pacotes de lenços de papel que gastei...

- Não te dás bem com o Farnerud? Eu não quero outra coisa, quando me ponho assim como tu estás, ataco logo com dois de oito em oito horas, e em meia-dúzia de dias fico óptima!...

- Boa ideia, agora em acabando de almoçar, vou ali à farmácia comprar.

5 comentários:

monstro das bolachas disse...

bem ja k ninguem comenta venho ca so dizer olá...




Olá!

redjan disse...

bli: de chorar por mais ! Butt (1) é bem melhor rir que Tacuara (2) de Mono (3)... sempre se fica mais Levezinho (4)o que nos dias que correm é um Lucho (5)... ! ;-)

PS: pena não termos tomado café lá pela Fábrica !!

Anónimo disse...

Simplesmente genial...neste dia mais cinzento, tamb�m eu cheia de Romagnoli, n�o pude deixar de rir!!

Obrigada!

Patrícia disse...

LOL!!! Lindo

patologista disse...

E assim caminhamos para a "quaresma".