quarta-feira, agosto 17, 2005

Haja paciência!...

Estes pseudo-artistas, mais as exigências do raio que os parta, têm a excentricidade das manias inversamente proporcionais ao talento, digo eu, que ninguém me perguntou nada...

E depois ainda há aqueles que precisavam mesmo era de estarem internados. Uma criatura que se entretém a destruir comida da forma como é descrito, isso sim deixa-me chocada. E eu nem sei o que é pior... Se é tal pessoa fazer aquelas coisas, se é os outros à volta aceitarem tanta demência sem se revoltarem nem fazerem nada. Tipo, abaná-lo e dar-lhe um estalo, ou arranjar-lhe uma mãe que lhe dê amor, ou simplesmente alguém para se rir a bom rir daquele boneco ridículo. Agora, dar-lhe comida para ele se entreter a pisar, tenham paciência!...

"Quem é mais louco? O louco ou aquele que o segue?..."

4 comentários:

Bart Simpson disse...

Absolutamente de acordo.
Manson dá razão a quem o apelida de louco e insano, e não é só ele.
Quanto aos pedidos mais extravagantes, faz parte do "filme"

Joaquim Varela disse...

Muitos, estou em crer, fazem exigências porque todas (ou quase todas) as estrelas do "show-biz" o fazem.

Mas esta é mais uma razão, para eu admirar a rapaziada que fui ver no passado domingo ao estádio da lagartagem, que pediram: Nada!

Rigorosamente nada de nada. Trazem tudo o que precisam e em termos pessoais exigiram somente um camarim para poderem descansar antes da coisa em si e também para poderem mudar de roupa. Mas isto é o mínimo dos mínimos.

Pela parte que me toca, talvez não fosse tão simplista e adoptaria uma postura tipo "The Pixies". A bela da cervejola, de uma marca qualquer. Nem era preciso ser fabricada numa cervejaria artesanal da Baviera, perto de Munster, num dia em que a lua estivesse em Quarto Crescente.

Carla Marques disse...

Realmente, só me vingava do Mason com um pano encharcado nos olhos! Se há coisa que considero sagrada, é a comida. E ando eu a passar-me com a minha prole quando ela teima em se servir mais do que aquilo que consegue comer!

blimunda sete luas disse...

Que isto também tem o reverso da medalha, atenção... Eu também sei o que é estar na pele dos organizadores, e acreditem, com uma sala cheia de gente para ver um espectáculo, e na iminência dos "artistas" amuarem e se recusarem a actuar, a malta fica capaz de lhes dizer que sim a tudo, infelizmente...

É que se não, é o trabalho de uma data de meses que cai por terra, por causa da toalha preta, do papel higiénico ou dos M&Ms... Mas para tudo há limites, porra!