segunda-feira, dezembro 12, 2005

Dezembro

Olhou o calendário e sorriu ao mês de Dezembro.

Com relativa surpresa, apercebeu-se que pela primeira vez, em muitos anos, a chegada deste mês não trazia consigo a sombra do que devia ser e não era.

Era simplesmente Dezembro, sem o peso de mais um ano caído em cima dos anteriores. Sem as lágrimas de ter pena de si mesma. Sem o virar da cara à alegria dos outros, visão insuportável perante o próprio vazio que se instalara dentro de si.

Lenta e dolorosa foi a jornada que providenciou o regresso à superfície, que até à infelicidade somos capazes de nos habituar e conformar. Enfim, emergiu. Inspirou. Inspirou-se.

Recebeu o mês de Dezembro com a leveza de quem não teme nem deve. Fortalecida pelas amizades sinceras. Aquecida pela troca dos afectos.

De bem com o mundo, reparou que têm estado uns dias de sol maravilhosos. Vem aí um ano novo. Finalmente. É Natal.

4 comentários:

Pois Claro Sou EU disse...

Devidamente acompanhada a fase negra, é com muita alegria que participo nesta nova fase de Natal.

Bem Vinda...

virilão disse...

isso é impulse

blimunda sete luas disse...

:) :) :)

mamã Xana disse...

Estou a gostar da oportunidade que me está a ser dada de acompanhar este novo Natal! :)

Bjs!